David Gray/AFP
David Gray/AFP

Após derrota, Bia Haddad deixa Austrália otimista: 'Fecho um Grand Slam contente'

Brasileira perdeu para a alemã Angelique Kerber, número 2 do mundo, na segunda rodada

Redação, Estadão Conteúdo

16 de janeiro de 2019 | 10h33

Após cinco jogos - três no qualifying e dois na chave principal -, a brasileira Beatriz Haddad Maia encerrou nesta quarta-feira a sua participação no Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada. A tenista paulista foi superada pela alemã Angelique Kerber, número 2 do mundo, por 6/2 e 6/3, pela segunda rodada, mas deixa Melbourne satisfeita e otimista.

"Fecho um Grand Slam muito contente. Primeiro de tudo, há seis, sete meses atrás estava fazendo cirurgia. Depois voltei, tive um final de ano difícil, mas sempre acreditando e trabalhando muito. Consegui passar um quali duríssimo, onde as rivais poderiam estar tranquilamente na chave e passei por isso da melhor forma", disse Bia Haddad, lembrando da operação que realizou nas costas.

"Depois, na primeira rodada, foi uma partida difícil também contra a (norte-americana Bernarda) Pera, uma canhota. Saio de cabeça erguida, sabendo que tentei o meu melhor e muito confiante por tudo que tem pra vir ainda em 2019", afirmou a brasileira.

Sobre o jogo contra Kerber, Bia Haddad comentou que buscou fazer o seu melhor jogo. "Foi um parâmetro pra mim. Eu já tinha jogado em quadras grandes, contra meninas tops, mas me apressei em alguns momentos. Coloquei ela um pouco maior do que realmente foi no jogo, querendo matar o ponto, eu ser a responsável pelo jogo e sabendo que ela era sólida", explicou a tenista número 1 do Brasil e 195.ª do mundo. "Mas isso faz parte do meu jogo, tenho que ser agressiva, não adianta eu ficar correndo, querendo ficar passando bola", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.