Yann Coatsaliou/AFP
Yann Coatsaliou/AFP

Após eliminar Rafael Nadal, Fabio Fognini é campeão do Masters 1000 de Montecarlo

Na grande decisão, tenista italiano superou sérvio Dusan Lajovic (48º do ranking) por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/4

Redação, Estadão Conteúdo

21 de abril de 2019 | 12h58

O tenista Fabio Fognini conquistou o título mais importante de sua carreira, neste domingo, ao derrotar o sérvio Dusan Lajovic (48º do ranking) por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/4, em 1h38, e se sagrar campeão do Masters 1000 de Montecarlo.

Na semifinal, o italiano, de 31 anos, 18º do ranking mundial, havia derrotado o espanhol Rafael Nadal, dono de 11 taças no torneio e não era derrotado na tradicional quadra de saibro de Mônaco desde a semifinal de 2015.

Com o primeiro título em Masters 1000, Fognini deverá subir seis posições no novo ranking da ATP, que será divulgado nesta segunda-feira, alcançando a 12ª posição, a melhor de sua carreira de 622 jogos. O tenista soma oito títulos de ATP. Outro que jamais havia disputado uma final de Masters 1000, Lajovic vai subir 24 posições e aparecer como 24º do mundo, após 238 partidas disputadas na carreira.

Motivado pelo fato de não ter perdido nenhum set no torneio deste ano, Lajovic, de 28 anos, começou bem a partida e logo quebrou o saque de Fognini, ao fazer dois games a um. Mas a reação do italiano foi imediata.

Fognini devolveu a quebra de saque, somou outros quatro games na sequência e alcançou 5 a 2. Com tranquilidade, fechou o primeiro set em 6/3, graças ao ótimo aproveitando nas bolas do fundo da quadra, como já havia feito com Nadal.

O segundo set ganhou dramaticidade, quando Fognini acusou uma dor na coxa durante a disputa do quinto game. O atleta recebeu atendimento e permaneceu na disputa. Lajovic cometeu erro incrível ao executar um smash e viu Fognini abrir 4/2. Daí em diante, o italiano manteve o ritmo e obteve grande vitória.

Nas duplas, em uma partida bastante equilibrada, o título ficou para os croatas Nikola Mektic e Franko Skugor, que venceram os holandeses Robin Haase e Wesley Koolhof por 6/7 (3/7), 7/6 (7/3) e 11-9.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.