Daniel Bockwoldt / AFP
Daniel Bockwoldt / AFP

Após eliminar Zverev, tenista da Geórgia se sagra bicampeão em Hamburgo

Em outro torneio, na Suíça, Albert Ramos-Viñolas superou Cedrik-Marcel Stebe e foi campeão

Redação, Estadão Conteúdo

28 de julho de 2019 | 20h12

Após despachar o local Alexander Zverev na semifinal, o tenista georgiano Nikoloz Basilashvili manteve o embalo neste domingo e se sagrou bicampeão do Torneio de Hamburgo, na Alemanha. Na decisão, ele derrotou o russo Andrey Rublev por 2 sets a 1, com parciais de 7/5, 4/6 e 6/3, em 2h07min de duelo.

Quarto cabeça de chave, o atual 16º do ranking da ATP é o primeiro a tenista a faturar o troféu de Hamburgo por dois anos consecutivos desde o suíço Roger Federer em 2005 - na época, a competição alemã era de nível Masters 1000; atualmente tem status de ATP 500.

"Parece que estou jogando o meu melhor tênis aqui. Só de ver o meu nome próximo do de Roger já significa muito para mim", celebrou o tenista da Geórgia. "Joguei o meu melhor tênis aqui e pretendo voltar no próximo ano, com certeza", declarou o atleta de 27 anos.

Foi apenas o terceiro título de Basilashvili em nível ATP, em cinco finais disputadas. Ele não levantava um troféu desde a conquista em Pequim, em outubro do ano passado.

O georgiano chegou ao título neste domingo ao faturar quatro quebras de saque sobre o rival, em 15 oportunidades ao longo da partida. Ele também perdeu o serviço, por três vezes, porém em momentos de menor importância na final da competição disputada sobre o saibro.

OUTROS CAMPEÕES

Em Gstaad, no saibro da Suíça, o espanhol Albert Ramos-Viñolas fez valer a maior experiência em jogos de peso para superar o alemão Cedrik-Marcel Stebe, atual 455º do mundo, e se sagrar campeão neste domingo. Ele venceu a final por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2.

Stebe se tornou o tenista de pior ranking em uma final de nível ATP em dez anos e chegou ao torneio, de nível 250, sem vencer uma partida no circuito da ATP desde 2017. O alemão de 28 anos ficou afastado durante boa parte da temporada passada em razão de duas cirurgias no punho direito. Ele já havia perdido o ano de 2014 por conta de problemas físicos.

Ramos-Viñolas soube tirar vantagem das limitações do rival e faturou o título sem perder um set sequer ao longo da semana. Foi sua segunda conquista da carreira, após levantar o troféu em Bastad, na Suécia, em 2016.

Em Atlanta, nos Estados Unidos, o campeão foi o australiano Alex de Minaur, de 20 anos, ao vencer uma jovem final contra o local Taylor Fritz, de 21. O tenista da Austrália levou a melhor por 6/3 e 7/6 (7/2), em 1h17min de confronto. De Minaur, 34º do mundo, terminou a partida sem ter o saque ameaçado e ainda faturou duas quebras de serviço sobre o rival, 32º do ranking.

Foi o segundo título obtido pelo australiano na carreira e também neste ano. Em janeiro, ele foi campeão diante de sua torcida, em Sydney.

No feminino, a letã Anastasija Sevastova confirmou o favoritismo em casa ao se sagrar campeã do Torneio de Jurmala. Na final, a primeira cabeça de chave e número 11 do mundo derrotou a polonesa Katarzyna Kawa por 2 a 1, com parciais de 3/6, 7/5 e 6/4. Em Palermo, a favorita Kiki Bertens decepcionou na decisão ao ser batida pela suíça Jil Teichmann por 7/6 (7/3) e 6/2. Bertens é a atual número cinco do mundo.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisNikoloz Basilashvili

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.