Natacha Pisarenko/AP
Natacha Pisarenko/AP

Após jogo histórico, Davis estuda adotar o tie-break no 5º set

Feijão e Leonardo Mayer travaram batalha de 6 horas e 42 minutos

Estadão Conteúdo

31 Março 2015 | 13h46

O histórico jogo entre o brasileiro João Souza, o Feijão, e o argentino Leonardo Mayer, realizado no último dia 8, em Buenos Aires, onde os dois tenistas travaram uma batalha de seis horas e 42 minutos no mais longo jogo de simples da história da Copa Davis, motivou os organizadores da competição a estudarem a adoção do tie-break no quinto set das suas partidas.

Tradicional competição entre países do tênis masculino, a Davis não conta com a disputa de tie-break no quinto set dos confrontos desde 1989, embora conte com o desempate para decidir todos os outros sets dos duelos.

A Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) informou que a mudança da regra será discutida pelo comitê organizador da Davis, mas não revelou uma data prevista para que seja tomada uma decisão sobre o assunto.

No último dia 8, Mayer derrotou Feijão por 3 sets a 2, com parciais de 7/6 (7/4), 7/6 (7/5), 5/7, 5/7 e 15/13, em um jogo épico que empatou o confronto entre Argentina e Brasil, pela primeira rodada do Grupo Mundial da Davis, e forçou a disputa de uma quinta e derradeira partida apenas no dia 9, uma segunda-feira. No caso, Thomaz Bellucci e Federico Delbonis não tiveram como fechar o duelo entre os países no domingo por causa de falta de luz natural na quadra da Arena Tecnópolis.

A extinção do tie-break no quinto set das partidas da Davis propicia muitas vezes partidas longas e que consequentemente prejudicam a programação dos jogos de um confronto entre duas nações. O fato, além de ser cansativo para o público, também acaba sendo ruim para as emissoras de TV que transmitem as partidas.

Mais conteúdo sobre:
tênis Copa Davis Feijão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.