Jason Szenes/EFE
Jason Szenes/EFE

Após mais de 4 horas, Carreño Busta bate canadense e está na semifinal do US Open

Espanhol supera Denis Shapovalov por 3 a 2, com parciais de 3/6, 7/6 (7/5), 7/6 (7/4), 0/6 e 6/3

Redação, Estadão Conteúdo

09 de setembro de 2020 | 08h26

Em um duelo cheio de alternativas, decidido apenas no quinto set após mais de quatro horas de disputa, o espanhol Pablo Carreño Busta, atual 27.º colocado do ranking da ATP, se classificou às semifinais do US Open ao derrotar, na noite de terça-feira, o canadense Denis Shapovalov, número 17 do mundo, por 3 a 2 - com parciais de 3/6, 7/6 (7/5), 7/6 (7/4), 0/6 e 6/3.

Essa é a segunda vez na carreira profissional que Carreño Busta chega a uma semifinal de Grand Slam. Ele repete a campanha que fez também em Nova York, nos Estados Unidos, em 2017. Na ocasião, foi derrotado pelo sul-africano Kevin Anderson. Desta vez, tentará sorte melhor contra o alemão Alexander Zverev, sétimo do ranking, que mais cedo derrotou o croata Borna Coric (32.º) de virada por 3 sets a 1 - parciais de 1/6, 7/6 (7/5), 7/6 (7/1) e 6/3.

Carreño Busta e Zverev duelarão nesta sexta-feira. No circuito profissional, os dois se enfrentaram apenas uma vez e quem se deu melhor foi o alemão, que venceu na semifinal do Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, em 2018.

Por sua vez, Shapovalov encerra a sua melhor participação em Grand Slam. O canadense de apenas 21 anos nunca havia chegado às quartas de final em torneios deste nível. Durante a campanha em Nova York, superou o belga David Goffin, um Top 10 do ranking, e chegou a vencer uma batalha de cinco sets contra o americano Taylor Fritz.

Duas partidas definirão nesta quarta-feira a outra semifinal do US Open. Andrey Rublev (14.º do ranking) e Daniil Medvedev (quinto) farão o duelo de russos, enquanto que o australiano Alex de Minaur (28.º) e o austríaco Dominic Thiem (terceiro) fecharão a fase de quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.