Após sufoco, Nadal projeta mais um jogo sofrido

Rafael Nadal acredita que terá mais um jogo complicado neste sábado, pela semifinal do Brasil Open. Após levar um sufoco do argentino Carlos Berlocq, na noite de sexta-feira, o espanhol espera uma partida "para sofrer e lutar" contra o também argentino Martin Alund, sensação do torneio, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

FELIPE ROSA MENDES, Agência Estado

16 de fevereiro de 2013 | 09h25

"Na verdade, sei muito pouco sobre ele. Mas sei que está fazendo um torneio espetacular. Venceu [Jeremy] Chardy, [Filippo] Volandri, está jogando muito bem apesar das condições da quadra. Acredito que amanhã ele estará em um momento muito importante em sua carreira. Está com muita confiança", avalia o ex-número 1 do mundo, ao comentar sobre seu futuro rival, que veio do qualificatório.

Por tudo isso, Nadal, com sua conhecida humildade, aposta em mais um jogo duro na competição. "Será muito difícil. Terei que estar preparado para sofrer e lutar", projeta, após passar 2h24min em quadra na batalha de três sets contra Berlocq. O espanhol venceu o rival com uma apertada virada no placar.

O atual número cinco do mundo admite que ainda está longe de repetir o desempenho que o consagrou no circuito internacional e lhe rendeu 11 títulos de Grand Slam. Na sua avaliação, neste momento de retorno às competições, ele corre o risco de perder partidas que não perderia quando estava embalado na temporada passada.

"Sem nenhuma dúvida porque fiquei sete meses sem competir", reconhece o "Rei do Saibro". "Não estou tão bom quanto era. É por isso que, para mim, cada vitória tem muito valor. É necessário ter humildade para buscar cada vitória. Quem sabe eu volte a ser o que eu era antes".

Nesta retomada, o triunfo suado sobre Berlocq servirá para ajudar o espanhol a recuperar sua confiança. "Foi a primeira partida que ganhei em três sets desde que eu voltei. Isso me ajuda a me colocar fisicamente melhor. E ajuda a recuperar a confiança em mim. Estou feliz por ter conseguido me superar", afirma o espanhol, que vibrou bastante ao fim da partida contra o argentino, na noite de sexta.

Nadal contou também com a vibração da torcida presente no Ibirapuera. Como aconteceu na quinta, ele exaltou a empolgação dos brasileiros. "A torcida tem sido incrível desde o dia em que cheguei aqui. Estou muito agradecido a todo o público. É fantástico estar em um ginásio como este, com público tão bonito e torcendo para mim. É uma sensação incrível".

A partida entre Nadal e Alund deve ter início por volta das 18 horas. A outra semifinal está marcada para as 16 horas, envolvendo o argentino David Nalbandian e o italiano Simone Bolelli.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBrasil OpenRafael Nadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.