Lucas Koch/ EFE
Lucas Koch/ EFE

Ashleigh Barty, número 1 do mundo, não vai disputar o US Open

Tenista australiana decide não disputar torneios por causa da pandemia do coronavírus

Redação, Estadao Conteudo

29 de julho de 2020 | 23h00

A tenista australiana Ashleigh Barty, número um do ranking mundial, anunciou, nesta quarta-feira, que não vai disputar o US Open e o Torneio de Cincinnati por causa das preocupações com a pandemia do coronavírus.

"Minha equipe e eu decidimos que não iremos viajar para os Estados Unidos este ano", disse a atleta para o jornal Herald Sun. "Eu amo os dois eventos, por isso foi uma decisão difícil, mas ainda existem riscos significativos com a covid-19 e eu não me sinto confortável colocando minha equipe e eu nessa posição. Desejo tudo de bom para a organização dos torneios e fico ansiosa por poder voltar aos Estados Unidos no próximo ano."

O Torneio de Cincinnati foi transferido para Nova York este ano e será disputado entre os dias 20 e 28 de agosto. O US Open começa dia 31 e será realizado em sua casa habitual em Flushing Meadows, Queens, mas será jogado sem fãs presentes para limitar a propagação do vírus.

A atual campeã de Roland Garros decidirá mais tarde se vai defender o título na França no mês de setembro. "Tomarei minha decisão se participarei ou não no Aberto da França e nos torneios europeus da WTA nas próximas semanas", afirmou Barty, de 24 anos.

O sérvio Novak Djokovic, número um do mundo, e a norte-americana Serena Williams, ganhadora de 23 torneios de Grand Slam, garantiram presença nos torneios, apesar do número de mortes ter alcançado 150 mil nos Estados Unidos nesta quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.