Susan Mullane/USA Today
Susan Mullane/USA Today

Kyrgios recebe 'punição condicional' por provocação a Wawrinka

Associação estipula período probatório ao tenista australiano

Estadão Conteúdo

24 Agosto 2015 | 12h01

A ATP mostrou-se disposta a dar mais uma chance ao controverso australiano Nick Kyrgios. Protagonista de uma polêmica com o suíço Stan Wawrinka durante o Masters 1000 de Montreal, quando provocou o adversário citando sua namorada, o tenista de 20 anos recebeu nesta segunda-feira uma nova punição da entidade, mas esta apenas condicional.

Em comunicado oficial, a ATP informou que Kyrgios passará por um período probatório de seis meses, até o dia 24 de fevereiro do ano que vem. Se voltar a se envolver em confusões no período, será punido com uma multa de US$ 25 mil (cerca de R$ 88,5 mil) e ficará suspenso dos torneios do circuito por 28 dias.

A entidade explicou que para evitar as sanções, Kyrgios precisa "não receber multas por abuso verbal ou físico em qualquer torneio da ATP, ou não acumular multas totalizando mais do que US$ 5 mil (R$ 17,7 mil) por quaisquer outras ofensas em torneios organizados pela ATP".

"Este incidente foi escandaloso e refletiu mal no nosso esporte. Nick expressou arrependimento, e o melhor resultado seria ele aprender uma lição deste incidente e entender que é responsável pelo circuito e colegas tanto por suas ações quanto palavras. É com esses fatores em mente que sinto que ele deveria ter a chance de escapar de sanções adicionais", disse Gayle David Bradshaw, vice-presidente executivo, de regras e competições da ATP.

No último dia 12, Kyrgios venceu Wawrinka em Montreal, depois que o adversário precisou abandonar a partida por problemas físicos. As câmeras de tevê, no entanto, flagraram o australiano provocando o rival durante o confronto, dizendo: "Kokkinakis (Thanasi Kokkinakis, outro tenista do circuito) dormiu com sua mulher (a também tenista Donna Vekic). Desculpa te dizer isso, cara".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.