Reuters
Reuters

ATP cancela Torneio de Washington e adia retorno do circuito masculino

Competição seria disputada no dia 14 de agosto, mas aumento no casos de contaminados pelo coronavírus nos EUA fez a organização mudar de planos

Redação, Estadão Conteúdo

21 de julho de 2020 | 13h41

A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) comunicou nesta terça-feira o cancelamento do Torneio de Washington, nos Estados Unidos. A competição marcaria o retorno do circuito masculino, a partir do dia 14 de agosto. Com a decisão, a temporada voltou a ser adiada, desta vez em uma semana.

"É decepcionante que, devido a estes tempos sem precedentes, o torneio não seja realizado neste ano", disse o presidente da ATP, Andrea Gaudenzi. "Sabemos como os organizadores trabalharam duro para se adaptar às condições que não param de mudar. Infelizmente, neste momento ainda há muitas questões em jogo que estão fora do nosso controle."

A organização do próprio torneio alegou incertezas sobre a pandemia nos EUA e também sobre as restrições de viagem para os atletas e treinadores. "Faltando apenas 23 dias para o torneio, há ainda muitas questões externas sem solução, incluindo diversas restrições para viagens internacionais, assim como questões de saúde e segurança."

Nas últimas semanas, os EUA registraram uma subida nos casos de infectados e mortos por covid-19. Ao mesmo tempo, o país impôs uma série de restrições para a entrada de estrangeiros pelas próximas semanas, o que dificultaria até a entrada de tenistas brasileiros em solo americano.

Com o cancelamento do Torneio de Washington, o circuito só retornará uma semana depois, no dia 22 de agosto, com o Torneio de Cincinnati, transferido neste ano para Nova York. A mudança se deve justamente aos cuidados para evitar contaminação pelo novo coronavírus. A organização pretende criar na cidade uma "bolha" para a disputa do tênis no local onde será disputado o US Open, a partir do dia 31.

A baixa de Washington no calendário é uma nova ameaça ao próprio US Open. O Grand Slam vem sendo alvo de críticas de tenistas e personalidades do tênis por tentar realizar a grande competição em meio à pandemia. Competição mais complexa e prestigiada do circuito, um Grand Slam costuma reunir quase 4 mil pessoas entre organização e bastidores, o que iria contra as normas de distanciamento social. A previsão é realizar o evento sem torcedores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.