ATP deseja ter um torneio no Brasil

O todo-poderoso da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), Mark Miles, revelou, em entrevista exclusiva à Agência Estado, que a sua entidade quer ver logo um grande torneio no Brasil. Disse ainda mais: a prioridade para novos eventos do calendário profissional é a América do Sul e, por isso, poderá facilitar a realização até de um Masters Series no continente, com o Brasil sendo um dos fortes candidatos.A possibilidade de o Brasil já ter um torneio da série ATP Tour, com tamanho e premiação semelhante à Copa AT&T, em Buenos Aires, é grande. Mas Mark Miles adverte que, mesmo fazendo de tudo para facilitar a promoção do evento, a situação é complicada. "Não temos mais semanas livres para promover novos torneios", afirmou. "A idéia da ATP é de reduzir o calendário e não aumentá-lo. Por isso, o Brasil teria de comprar um evento já existente e levá-lo para São Paulo ou Rio." Esta compra seria oferecer uma quantia para o organizador de um evento já existente e transferi-lo para o Brasil. Mark Miles acenou com a idéia que, por exemplo, o Masters Series de Stuttgart, Alemanha, poderá estar disponível para este negócio. Só que ainda assim, as dificuldades para o País ter um evento deste tamanho seriam grandes. Afinal, o dirigente lembra de algumas exigências para se promover um Masters Series. Uma delas seria um estádio definitivo para 14 mil pessoas, com estrutura e facilidades para receber todas as grandes estrelas do tênis mundial e a mídia internacional."A América do Sul está entre as prioridades da ATP, mas o Masters Series tem um número limitado de nove eventos", explicou Mark Miles. "Além disso, estamos interessados em promover competições de dez ou onze dias, juntamente com torneios femininos, assim como acontecesse em Indian Wells e em Miami." Um dos grandes interessados neste desafio de promover um grande torneio do Brasil - seja um ATP Tour, como o da Argentina, ou ainda um Masters Series - é o norte-americano Butch Buchholz, que é o promotor de Miami e Buenos Aires. Ele não esconde que o Brasil é um forte candidato a ter um dos grandes eventos do tênis internacional, mas esbarra num problema: onde construir um complexo de tênis capaz de ser sede de um evento deste tamanho?"Estou vistoriando lugares na Argentina", admitiu Bulchholz. "Mas isto não quer dizer que o Brasil não seja um forte candidato a realização de um Masters Series." Além de Bulchholz, representante da AlTenis, o brasileiro Luís Felipe Tavares, da Octagon/Koch Tavares, esteve em Buenos Aires para encontrar-se com Mark Miles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.