ATP suspende tenista italiano por fazer apostas

Giorgio Galimberti é suspenso por 100 dias e terá que pagar multa de R$ 8,5 mil

Efe

18 de fevereiro de 2008 | 20h46

A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), responsável pelo circuito masculino, suspendeu o tenista italiano Giorgio Galimberti por 100 dias e o obrigou a pagar uma multa de US$ 5 mil (cerca de R$ 8,5 mil) por fazer apostas em partidas entre junho de 2003 e janeiro de 2006. Em nota, a ATP comunicou a decisão, mas não disse se ele apostou em suas próprias partidas. Galimberti é o quarto tenista italiano suspenso pela prática de apostas. No final do ano passado, Potito Starace, Daniele Bracciali e Alessio Di Mauro foram declarados culpados do mesmo.A ATP começou a investigar a Galimberti em agosto de 2007. Os rumores de resultados combinados invadiram o mundo do tênis desde que o site de apostas Betfair, em uma ação sem precedentes, invalidou as apostas de uma partida envolvendo o russo Nikolay Davydenko e o argentino Martin Vassallo Arguello pelo torneio de Sopot (Polônia), na qual o russo poderia estar envolvido.Na partida, Davydenko venceu o primeiro set por 6 a 2, perdeu o segundo por 6 a 3, e decidiu deixar a quadra quando estava em desvantagem de 2 a 1 no terceiro set por causa de uma lesão no pé. A Betfair registrou um volume de apostas para esta partida dez vezes superior ao normal (de quase US$ 7 milhões), a maioria a favor do argentino, mesmo após o fim do primeiro set - e apesar de o sul-americano ocupar a 87.ª posição no ranking de entradas, frente ao quarto lugar de Davydenko.Em resposta à partida e às denúncias de jogadores sobre intrusos que tentavam influenciar seu jogo, a ATP e outros órgãos que administram o tênis trabalharam juntos para manter o esporte limpo.

Tudo o que sabemos sobre:
ATPapostasescândalo no tênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.