Werther Santana|Estadão
Werther Santana|Estadão

Atual campeão, Marcelo Melo prevê estreia 'duríssima' em Wimbledon

Brasileiro e o polonês Lukasz Kubot os locais Luke Bambridge e Jonny O'Mara, campeões do Torneio de Eastbourne, na semana passada

Estadão Conteúdo

03 Julho 2018 | 21h50

Atuais campeões da chave de duplas de Wimbledon, o brasileiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot vão estrear na edição deste ano na quarta-feira, em Londres. E Melo espera uma primeira partida "duríssima" por ser contra os locais Luke Bambridge e Jonny O'Mara, campeões do Torneio de Eastbourne, também na Inglaterra, na semana passada.

+ Sharapova leva virada e perde para compatriota na estreia em Wimbledon

"Temos uma duríssima primeira rodada, apesar da dupla ser 'wild card'. Eles acabaram de vencer Eastbourne, jogam bem, são britânicos", projeta o brasileiro, que também chega ao Grand Slam britânico embalado por título. Na semana passada, ele e Kubot foram campeões em Halle, na Alemanha.

"A nossa expectativa é muito boa, acabamos de ganhar o título em Halle. Agora é colocar em prática tudo o que a gente vem jogando, toda nossa confiança, buscar os belos momentos do ano passado aqui para começar bem, pensando sempre passo a passo, jogo a jogo. Fizemos uma excelente preparação e vamos com força total", comenta.

Melo e Kubot entram na competição como a dupla cabeça de chave número dois. Kubot é o atual número três do mundo e o brasileiro, o 4º. Por serem os atuais campeões, eles defendem muitos pontos em Londres. Em caso de derrota antes da final, ambos devem perder boas posições no ranking da ATP.

Além de Melo, o Brasil terá Bruno Soares e Marcelo Demoliner na chave de duplas. Soares e o escocês Jamie Murray, ainda sem data definida para a estreia, vão enfrentar a parceria formada pelo espanhol Albert Ramos-Viñolas e pelo italiano Paolo Lorenzi.

Demoliner, jogando ao lado do mexicano Santiago González, terá pela frente o romeno Marius Copil e o grego Stefanos Tsitsipas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.