Austrália diz que não joga Copa Davis na Índia por segurança

Australianos - que podem ser suspensos - alegam temor com seus jogadores devido às eleições indianas

EFE

25 de abril de 2009 | 08h45

A Federação Australiana de Tênis anunciou que, por motivos de segurança, não viajará à cidade indiana de Madras no começo de maio para disputar com a Índia as eliminatórias da Copa Davis correspondentes à segunda rodada do Grupo I da Zona Ásia/Oceania.

"Pedimos que a sede (dos jogos) seja mudada porque estamos seriamente preocupados com a segurança de nossos jogadores, especialmente durante as eleições neste país", disse em nota o presidente da federação australiana, Geoff Pollard.

"A decisão da ITF (Federação Internacional de Tênis) não nos deixa outra opção. Não podemos enviar a nossa equipe. Estamos muito decepcionados. Seria uma irresponsabilidade enviar nossos jogadores a um lugar de alto risco. A Copa Davis é muito importante para nós, mas há outras coisas mais importantes que o tênis", acrescentou Pollard.

A Austrália, que pode ser punida com até um ano de suspensão, havia solicitado à ITF que mudasse a sede dos jogos, marcados para os dias 8, 9 e 10 de maio. Porém, o pedido foi negado.

Em seu requerimento, os dirigentes do tênis australiano alegaram que uma competição de críquete que aconteceria em Chennai, também na Índia, foi transferida para a África do Sul por problemas de segurança.

A ITF, por sua vez, respondeu que a escolha das sedes pelos organizadores da Copa Davis foi feita com base num relatório sobre de segurança elaborado pela própria entidade.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa DavistênisAustráliaÍndia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.