Azarenka volta ao circuito com uma vitória tranquila sobre Schiavone

Bielorrussa ganhou por 2 sets a 0, parciais de 6/2 e 6/3, no Torneio de Carlsbad, nos EUA

AE, Agência Estado

31 de julho de 2013 | 20h49

CARLSBAD - Em sua volta às quadras, depois da contusão que a manteve afastada desde o abandono na segunda rodada de Wimbledon, no final de junho, a tenista bielo-russa Victoria Azarenka teve uma estreia tranquila no Torneio de Carlsbad, nesta quarta-feira, nos Estados Unidos. Número 3 do mundo, ela ganhou da italiana Francesca Schiavone, a 55ª colocada do ranking, por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/3.

Como é a cabeça de chave número 1 em Carlsbad, torneio em quadra rápida que distribui quase US$ 800 mil em prêmios, Azarenka entrou direto na segunda rodada. Assim, ela está agora nas quartas de final da disputa que serve de preparação para o US Open, ainda esperando a definição de sua próxima adversária, que sairá do jogo entre a polonesa Urszula Radwanska e a sérvia Jelena Jankovic.

Outra favorita que estreou com vitória nesta quarta-feira foi a checa Petra Kvitova. Número 7 do mundo, ela ganhou da britânica Laura Robson por 6/1 e 6/2 e garantiu vaga nas quartas de final, assim como a italiana Roberta Vinci, que eliminou a norte-americana Bethanie Mattek-Sands por 6/4 e 6/2. O dia ainda teve vitória da sérvia Ana Ivanovic sobre a eslovaca Dominika Cibulkova por 4/6, 6/3 e 6/2.

WASHINGTON

Em Washington, outro torneio que acontece nos Estados Unidos e serve de preparação para o US Open - o Grand Slam em Nova York começa no dia 26 de agosto -, o destaque desta quarta-feira foi o confronto alemão em que Andrea Petkovic derrotou Mona Barthel por 2 sets a 0, com um duplo 6/2. Com isso, ela se tornou a primeira tenista classificada para as quartas de final da competição.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisVictoria Azarenka

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.