Divulgação/Fotojump
Divulgação/Fotojump

Bellucci e Rogerinho vencem e vão à final da chave de duplas no Rio Open

Brasileiros fazem bonito e se classificam diante de checo e argentino

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2019 | 19h52

Últimos brasileiros sobreviventes no Rio Open, Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva fizeram bonito nesta sexta-feira e garantiram vaga na decisão da chave de duplas. Nas semifinais, eles passaram pelo checo Roman Jebavy e o argentino Andrés Molteni por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/6 (7/3), e fizeram a festa da torcida da casa.

Bellucci e Rogerinho precisaram de 1h31min para superar Jebavy e Molteni e manter-se na luta por um título que seria inédito para o Brasil. Até hoje, a melhor campanha do País no Rio Open foi o vice-campeonato de Marcelo Melo, também nas duplas, em 2014, ao lado do espanhol David Marrero.

Depois de surpreenderem Marcelo Melo e Bruno Soares nas quartas, Bellucci e Rogerinho superaram as expectativas novamente. Os brasileiros, que sequer figuram entre os 300 melhores duplistas do mundo, eliminaram o 46.º (Jebavy) e o 52.º (Molteni) do ranking.

A vitória dos brasileiros veio apesar do dia irregular no serviço. Bellucci e Rogerinho tiveram o saque quebrado em quatro oportunidades pelos rivais, mas aproveitaram cinco dos nove break points que tiveram para surpreender.

Na decisão, Bellucci e Rogerinho vão encarar o argentino Maximo González e o chileno Nicolás Jarry, que também surpreenderam diante dos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah. Mesmo encarando os cabeças de chave número 2 da competição, González e Jarry triunfaram em três sets, com parciais de 3/6, 7/5 e 10/7, em 1h40min de partida.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.