Divulgação
Divulgação

Bellucci e Teliana preveem estreia difícil em Wimbledon

Thomaz enfrenta Nadal e brasileira, Camila Giorgi, nº 32 do mundo

Estadão Conteúdo

26 de junho de 2015 | 17h37

Thomaz Bellucci e Teliana Pereira preveem uma estreia complicada em Wimbledon, na próxima semana. Nesta sexta-feira, eles conheceram seus adversários na tradicional grama inglesa e admitiram que terão dois bons desafios pela frente. Bellucci vai estrear contra o espanhol Rafael Nadal, dono de dois títulos no Grand Slam britânico. Teliana enfrentará a italiana Camila Giorgi, cabeça de chave e especialista em piso rápido.

Entre os dois brasileiros, Bellucci é quem terá o maior desafio. Mesmo longe de sua melhor fase, na 10ª posição do ranking, Nadal é considerado um dos melhores tenistas da história. E já faturou título na grama nesta temporada, em Stuttgart. Apesar disso e do grande histórico do rival, Bellucci aposta em suas chances.

"Jogo difícil... Tenho que estar pronto para encarar um jogo longo, com disciplina tática e uma concentração muito grande, porque qualquer vacilo custa caro contra esses jogadores. Mas tenho feito bons jogos contra jogadores desse nível", disse o número 1 do Brasil, que deu trabalho para o líder do ranking, Novak Djokovic no Masters 1000 de Roma, em maio.

Contra Nadal, o brasileiro deve jogar na quadra central ou na quadra 1 do complexo de Wimbledon. "Tenho que aproveitar a oportunidade, jogar à vontade, mais solto e fazer o melhor que eu posso", projetou Bellucci, que perdeu as quatro partidas que jogou contra Nadal no circuito profissional.

Na chave feminina, Teliana vai duelar contra a 32ª colocada do ranking. Camila Giorgi vem embalada pelo título conquistado na grama de Hertogenbosch, na Holanda, há duas semanas. "Conheço a Giorgi, mas nunca nos enfrentamos. Ela é especialista em quadras rápidas e de grama e vem de um título neste piso. O jogo dela é bem agressivo e vou tentar ao máximo entrar mesmo no torneio e desfrutar dessa experiência", comentou a brasileira.

Para enfrentar uma adversária que vive melhor fase, Teliana vai contar com a experiência de ter jogado na quadra central no ano passado - foi derrotado na estreia pela romena Simona Halep. "Foi uma experiência incrível e deu vontade de quero mais. Desta vez cheguei cedo, estou aqui há uma semana treinando e me adaptei bem. Apesar de não ser o meu piso favorito, é o torneio mais tradicional do mundo", disse a 74ª tenista do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.