Divulgação
Divulgação

Bellucci espera definir novo técnico em três semanas

Brasileiro encerrou parceira com Larri Passos na última semana e pode trabalhar com estrangeiro

AE, Agência Estado

14 de novembro de 2011 | 20h58

SÃO PAULO - Após encerrar sua parceria com Larri Passos na quarta-feira passada, Thomaz Bellucci afirmou nesta segunda-feira que deve definir seu novo técnico em um prazo de três semanas. O tenista número 1 do Brasil, que sugeriu a possibilidade de contratar um treinador estrangeiro, garantiu que teve um rompimento amigável com Larri.

"Foi um ano muito bom com o Larri, eu tinha o sonho de treinar com ele e acabei realizando, mas no segundo semestre o rendimento não foi bom e senti que tinha que mudar. Foi um rompimento amigável, a gente tinha a meta de entrar entre os 20, tínhamos uma boa expectativa pra este ano, mas não se confirmou. Então acredito que não há mágoas de nenhum dos dois lados", declarou.

Bellucci adiantou que só vai definir sua preparação e o calendário para a próxima temporada depois que definir seu novo técnico. "Tenho muito a melhorar ainda, em diversos fatores, especialmente na quadra rápida, em termos de movimentação, se quiser entrar para os 20 melhores. Perdi muitos jogos no terceiro set, de virada, o nível é muito parelho, e se eu tivesse ganhado alguns desses jogos a temporada poderia ter sido outro. São detalhes que eu preciso melhorar pra alcançar minha meta".

Ao fim de uma temporada irregular, marcada pela instabilidade mental dentro de quadra, o tenista revelou que tem recebido apoio psicológico para melhorar seu jogo. "Mas não gosto muito de falar sobre isso", desconversou Bellucci, que perdeu seguidas partidas de virada neste ano.

Sem treinador, Bellucci encerrará sua temporada nesta semana no ATP Challenger Tour Finals, que será disputado no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. A competição reunirá os sete melhores tenistas do ano no circuito Challenger, de nível inferior aos torneios ATP, e mais um convidado: o próprio Bellucci.

Mesmo sendo o mais bem ranqueado da competição, o brasileiro evita falar em favoritismo. "Não sou tão favorito como pensam. Vou enfrentar jogadores que vêm com ritmo, tanto que estão aqui", comentou o tenista, que fará sua estreia no torneio, disputado em dois grupos, nesta quarta-feira.

Ele enfrentará o americano Bobby Reynolds, a partir das 21 horas. Também integram o Grupo Verde o eslovaco Martin Klizan, 90º do ranking, e o alemão Andreas Beck, 105º. O Grupo Amarelo terá o português Rui Machado, o israelense Dudi Sela e os alemães Cedrik-Marcel Stebe e Matthias Bachinger.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisThomas Bellucci

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.