Bellucci estreia com vitória fácil em challenger alemão

Fora de Wimbledon após ser eliminado já na primeira rodada do qualifying do Grand Slam inglês, Thomaz Bellucci estreou com vitória fácil no Challenger de Marburg, na Alemanha, nesta segunda-feira. O tenista número 1 do Brasil arrasou o venezuelano Ricardo Rodriguez-Pace, atual 286º colocado do ranking mundial, por 2 sets a 0, com parciais de 6/0 e 6/2, em apenas 64 minutos.

AE, Agência Estado

23 de junho de 2014 | 13h32

A competição alemã, realizada em quadras de saibro, acabou entrando de última hora no calendário de Bellucci, que esperava ao menos disputar a chave principal de Wimbledon, até pelo fato de que era o cabeça de chave número 1 do qualifying em Londres.

Depois de atuar em Marburg, Bellucci ainda tem previsto em seu reorganizado cronograma a sua participação no Challenger de Braunschweig, antes de encarar torneios do circuito principal da ATP em Stuttgart, Hamburgo, Gstaad e Kitzbuhel.

No duelo desta segunda-feira, Bellucci aplicou um "pneu" (6/0) sobre Rodriguez-Pace no primeiro set ao aproveitar três de seis chances de quebrar o saque do rival e ao salvar o único break point cedido ao rival na parcial. Já no segundo set, mais uma vez confirmando todos os seus serviços, o brasileiro foi feliz em duas de cinco oportunidades de quebra para fazer o 6/2 que liquidou o duelo.

Com a vitória, Bellucci se credenciou para encarar na segunda rodada em Marburg o suíço Henri Laaksonen, que na estreia superou o chileno Hans Podlipnik por duplo 6/4.

Outro brasileiro que esteve em quadra nesta segunda-feira em Marburg, André Ghem também estreou com vitória ao contar com a desistência do francês Vincent Millot quando vencia o terceiro set por 4/1, depois de ter perdido o primeiro por 7/6 (7/2) e aplicado 6/3 na segunda parcial. O seu próximo rival sairá do confronto entre o argentino Diego Schwartzman, cabeça de chave número 1, e o belga Yannick Mertens.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisThomaz Bellucci

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.