Bellucci prevê que precisará ser sólido e constante para tentar bater Djokovic

Em seu último torneio na temporada de 2015, o brasileiro Thomaz Bellucci terá um enorme desafio nesta terça-feira, pela segunda rodada do Masters 1000 de Paris, na França: o sérvio Novak Djokovic, atual líder do ranking da ATP. Atual número 1 do Brasil e 40 do mundo, o tenista paulista estreou com vitória nesta segunda sobre o russo Teymuraz Gabashvili com um duplo 6/4.

Estadão Conteúdo

02 Novembro 2015 | 17h24

Este será o terceiro confronto entre Bellucci e Djokovic só neste ano. Na carreira já são cinco duelos, todos vencidos pelo sérvio. Em 2015, foi nas oitavas de final do Masters 1000 de Roma (5/7, 6/2 e 6/3) e na segunda rodada do Masters 1000 de Montreal (6/3 e 7/6(7/4)). Os outros dois jogos aconteceram nas semifinais do Masters 1000 de Madri (4/6, 6/4 e 6/1), em 2011, e nas oitavas de final do Masters 1000 de Roma (6/4 e 6/4), em 2010.

Para tentar bater o número 1 do mundo, Bellucci já sabe o que terá de fazer em quadra: ser sólido e constante o tempo inteiro. "Os últimos dois jogos contra ele (Djokovic) foram bem equilibrados. Vou tentar manter o mesmo padrão de jogo que deu certo e manter a tranquilidade nos pontos cruciais. Ele não dá espaço dentro de quadra, então o negócio é jogar sólido e não deixar o nível cair em nenhum momento", afirmou.

Sobre a partida desta segunda-feira, o brasileiro revelou que a parte mental foi importante para a vitória. "Tecnicamente não foi um dos meus melhores jogos, mas consegui me manter firme mentalmente dentro do jogo e isso fez a diferença na partida. Ele (Gabashvili) oscilou bastante no jogo e eu aproveitei para me manter sólido", explicou Bellucci, que anotou a terceira vitória em três confrontos contra o russo.

Mais tarde, na estreia pela chave de duplas, Thomaz Bellucci foi eliminado. Junto com o sérvio Viktor Troicki, perdeu para a parceria formada pelo paquistanês Aisam-Ul-Haq Qureshi e pelo francês Gilles Simon por 2 sets a 0 - com parciais de 7/5 e 7/6 (7/3).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.