Jonas Ekstromer/AP
Jonas Ekstromer/AP

Bellucci quer confirmar boa fase na Copa Petrobrás em SP

Brasileiro, que nesta semana confirmou posição entre os 50 melhores do mundo, é o favorito na disputa

André Avelar, estadao.com.br

25 de outubro de 2009 | 11h12

Um título em casa para coroar uma excelente temporada. Depois de confirmar posição entre os 50 melhores do mundo, Thomaz Bellucci agora concentra suas forças para fechar 2009 com chave de ouro, na etapa de São Paulo da Copa Petrobrás, que acontece na Sociedade Harmonia de Tênis. Favorito na disputa, ele enfrenta o também paulista Júlio Souza (183.º), provavelmente na terça-feira, pela primeira rodada do torneio.

Veja também:

linkBellucci é eliminado na semi de Estocolmo

linkNo Brasil, dirigentes e atletas negam manipulação

Semifinalista em Estocolmo, na Suécia, Bellucci terá no Brasil a missão de defender a atual escrita do circuito: três das quatro etapas disputadas em 2009 tiveram vencedores locais. Horácio Zeballos venceu na Argentina; Pablo Curves levou no Uruguai e Ramón Delgado se sagrou campeão no Paraguai; apenas o espanhol Carlos Salamanca fugiu à regra e ficou com o título na Bolívia.

Os argentinos Juan Ignácio Chela e Gaston Gaudio, além dos chilenos Nicolas Massú e Paul Capdeville também participam da etapa, pela primeira vez disputada na capital paulista.

Se depender da empolgação dos organizadores do challenger que oferece US$ 75 mil em prêmios e 100 pontos no ranking, o título ficaria sem problemas nas mãos de Bellucci. Na coletiva de lançamento do torneio, a todo momento interrompida por palmas e gritos de "mais um game para o Bellucci" [o brasileiro ainda jogava pelas quartas de final, contra o sueco Joachim Johansson], ninguém escondeu o desejo de rever um tenista do País entre os melhores do mundo.

"O Del Potro mesmo começou a ganhar seus primeiros pontos em uma Copa Petrobrás e hoje já faturou um US Open e está entre os melhores do mundo [5.º no ranking da ATP]", lembrou Antonio Torello, diretor do torneio.

Em 45.º lugar na ATP, mais do que jogar em casa, o número 1 do País quer aproveitar para somar pontos no último torneio da temporada. "Além de não precisarmos ir à Europa ou EUA, também temos a oportunidade de somarmos pontos importantes para fechar o ano com bom ranking e já começar a pensar o no início do próximo", disse o tenista, por meio de sua assessoria.

Já os adversários prometem fazer de tudo para adiar um pouco a ascensão de Bellucci. Apesar disso, reconhecem a importância dele não só para o torneio, como para o esporte nacional. "Até para nós, é muito boa importante a fase em que ele está agora. É muito bom para o tênis também. Temos um futuro muito promissor pela frente", disse Thiago Alves, que ganhou um wild card da organização para disputar o torneio. Na estreia, ele enfrenta Ricardo Mello (ex-top 50 e atual 164.º) um amigo e "velho conhecido" de torneio.

Marcelo Demoliner e Gabriel Wanderley também foram convidados pela organização e enfrentam, respectivamente, o brasileiro Júlio Silva e o francês Jonathan Dasnieres de Veigy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.