Marcos de Paula
Marcos de Paula

Bia Haddad admite que inexperiência pesou na derrota no Rio Open

Brasileira teve três match points diante da italiana Sara Errani, mas sucumbiu às cãimbras e perdeu a chance de chegar às semifinais

MARCIO DOLZAN, Estadão Conteúdo

20 de fevereiro de 2015 | 20h09

Bia Haddad Maia esteve muito próxima de fazer história nesta tarde de sexta-feira, quando teve três match points a seu favor no segundo set diante da italiana Sara Errani, cabeça de chave número 1 do Rio Open. Mas a paulista radicada em Balneário Camboriú errou uma devolução, ficou nervosa, arrastou o jogo para o terceiro set e, debaixo de muito calor, sucumbiu às cãibras, perdendo o jogo e a chance de chegar a sua primeira semifinal de um torneio da WTA.

A brasileira teve um início arrasador diante de Errani, n.º 16 do ranking mundial e finalista de Roland Garros em 2012. Tirando vantagem da lentidão da italiana, Bia chegou a abrir 4 a 0 no primeiro set - vencido por 6/3 - e chegou a ter três match points no segundo. Mas aí, como ela própria admitiria horas mais tarde, faltou experiência.

"Talvez pela inexperiência eu pensei em ganhar o jogo, e eu tinha que ter pensado apenas naquela devolução", disse a tenista, referindo-se ao primeiro dos três match points. "Isso me custou, porque fiquei ansiosa e perdi aquele game."

Àquela altura, Bia vencia por 6/5, mas Errani conseguiu reverter e levar o set para o desempate. "No tie-break eu comecei a pensar muito nos erros que cometi", admitiu Bia, que acabou levando 7/2 da italiana e tendo que encarar o terceiro set. No set decisivo, a brasileira sentiu cãibras e precisou ser atendida em quadra quando perdia por 3 a 0. Acabou abandonando e perdendo a partida por 6/3, 6/7 (2/7) e 0/3 em 2h17 de jogo.

Escalada para jogar a semifinal nas duplas com Teliana Pereira na sequência, Bia Haddad Maia não conseguiu se recuperar a tempo e a dupla acabou alijada do torneio por desistência. Apesar disso, a campanha na simples foi comemorada. "Estou muito feliz, porque joguei acima do que eu esperava. Essa partida era um teste pra mim", afirmou Bia. "Fui pra cima em todos os momentos, tive chances, podia ter ganhado, mas talvez não teria aprendido com esta experiência."

Aos 18 anos, Bia Maia nunca havia vencido um jogo em torneio da WTA antes da disputa do Rio Open. Na competição, ela eliminou duas adversárias até cair diante de Sara Errani. Com a campanha, a brasileira deverá aparecer entre as 200 melhores tenistas do mundo no próximo ranking. Atualmente, ela ocupa a posição 234.

Assim, Bia demonstrou serenidade ao avaliar sua participação no Rio. "Se não ganhei foi porque não era o meu momento de ganhar, e eu acredito muito em mim e nas pessoas que estão ao meu redor", considerou. "Mas joguei na quadra central, em casa, diante da número 1 (do torneio). Ainda vou evoluir bastante."

Tudo o que sabemos sobre:
tênisRio OpenBia Haddad Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.