Federico Ruiz/CBT
Federico Ruiz/CBT

Bia Haddad perde para Cibulkova e Brasil cai diante da Eslováquia na Fed Cup

Brasileira cai em dois sets e seleção é derrotada por 3 a 1 nos playoffs do Grupo Mundial II

Redação, Estadão Conteúdo

21 de abril de 2019 | 16h50

O Brasil perdeu para a Eslováquia na disputa dos playoffs do Grupo Mundial II da Fed Cup neste fim de semana. A equipe europeia conseguiu mais uma vitória neste domingo e totalizou três triunfos nos dois dias de disputas, contra apenas um das brasileiras, que ainda venceram um confronto de duplas que não valia mais nada para a série melhor de cinco jogos deste embate em piso de saibro na AXA Arena, em Bratislava, que terminou em 3 a 1 para as donas da casa.

No duelo que definiu o triunfo das eslovacas, Beatriz Haddad Maia, 124ª colocada do ranking mundial, perdeu para Dominika Cibulkova, 33ª da WTA, por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/3) e 6/0.

No jogo de duplas, Carolina Meligeni Alves e Luisa Stefani representaram o Brasil diante de Viktoria Kuzmova e Rebecca Sramkova. Em 55 minutos de jogo, as brasileiras mostraram superioridade e confirmaram a vitória por 2 a 0, com parciais de 6/1 e 6/3. Com o duelo definido por antecipação ao quinto jogo, a partida de simples que Carolina Meligeni faria acabou sendo cancelada.

Antes deste duelo de duplas, o dia de disputas em Bratislava começou com Cibulkova conseguindo uma quebra de saque logo no segundo game, que Bia devolveu na sequência para colocar o 2 a 2 no placar.

Com um jogo sólido e mais agressivo do que mostrou no sábado, a paulista voltou a quebrar o serviço de Cibulkova no sétimo game, fazendo 4 a 3. Entretanto, a europeia reagiu e forçou o tie-break, que venceu por 7 a 3. No segundo set, com a confiança elevada e apoio da torcida local, a número 33 da WTA deu poucas chances para a brasileira e venceu por 6 a 0.

"Foi uma grande experiência para nossas jogadoras. A atitude de todas foi excelente. A gente sabia que seria difícil ganhar, mas sempre fomos para a quadra com a cabeça erguida e para dar o nosso melhor, e todo mundo deu 100%", analisou a capitã da equipe brasileira, Roberta Burzagli. "Foi uma experiência nova para todo mundo e já vimos uma grande evolução de um dia apara o outro, apesar do curto tempo. Muitas coisas melhoraram".

Com o resultado de 3 a 1 nesta série, as eslovacas retornarão ao Grupo Mundial II da competição, enquanto o Brasil volta ao Zonal Americano em 2020.

Apesar da derrota para as eslovacas, que contaram com duas atletas do Top 50 do mundo nas partidas de simples, o time brasileiro deu mais um passo na consolidação do trabalho realizado no tênis feminino. Em 2018, o Brasil perdeu para o Paraguai na final do Zonal Americano. Já em 2019, venceu a competição e ganhou o direito de enfrentar a Eslováquia na disputa que valia vaga entre as 16 melhores equipes do mundo.

"As eslovacas fizeram grandes jogos de simples, mas é fundamental reconhecer que há uma evolução dentro do nosso time na Fed Cup. Chegar ao playoff foi consequência deste progresso. Agora, nossa missão é continuar oferecendo a estrutura necessária para que a capitã Roberta Burzagli siga o trabalho com a equipe para os próximos desafios", disse Rafael Westrupp, presidente da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), após as disputas deste domingo.

Tudo o que sabemos sobre:
Fed CupBia Haddadtênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.