Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Boicote ameaça Brasil na Copa Davis

Um clima de incertezas marca o próximo confronto do Brasil na Copa Davis. Os jogos serão apenas de 9 a 11 de abril, já com sede definida para a Costa do Sauípe, mas a recente troca de treinador, com Jaime Oncins assumindo o lugar de Ricardo Acioly provocou esta situação. Há uma temerosa suspeita de que pode haver boicote, embora nenhum jogador sequer fale sobre o assunto abertamente. Gustavo Kuerten, o principal tenista do País, não deixou dúvidas de estar incomodado com a notícia divulgada às vésperas do Brasil Open. E a simples possibilidade de alguma ausência importante já é o suficiente para prejudicar e causar preocupações na organização do evento. O Brasil está com chances razoáveis de voltar ao Grupo Mundial. No próximo confronto pega o Paraguai jogando em casa. O time adversário não é dos mais fortes. Tem apenas um bom jogador, Ramon Delgado. Só que voltar ao Grupo Mundial ainda dependeria de uma outra vitória, diante de adversário a ser conhecido, podendo tanto ser fora como em casa. Se o Brasil passar pelo Paraguai, o que é bastante provável, jogaria em setembro o playoff, diante de um dos perdedores da primeira rodada do Grupo Mundial. A lista conta com Austrália, Áustria, Rússia, Marrocos, Romênia, Croácia, Canadá e República Checa. Todos adversários são bem mais fortes que o Paraguai, com o agravante da possibilidade do time brasileiro de jogar fora de casa, dependendo de sorteio. Enfim, a troca de treinador em nada parece ter colaborado para melhorar a situação do Brasil na Copa Davis. Afinal, ter o Paraguai pela frente, jogando em casa, não chega a ser preocupante, embora o time de Ramon Delgado mereça respeito, ainda mais com os brasileiros sofrendo para conseguir bons resultados, como ficou claro neste Brasil Open em que todos, com exceção de Guga, foram eliminados na primeira rodada. No Sauípe, a organização se empenha em fazer do Brasil Open mais do que um simples torneio. Além das emoções na quadra, a Octagon Koch Tavares chamou até a ex-campeã Maria Esther Bueno para participar de uma clínica de tênis no sábado.Além dela, estarão em ação dois campões Pan Americanos como Fernando Meligeni e Vanessa Menga. Na chave principal, os grandes especialistas em quadras de saibro continuam fazendo sucesso. O argentino Agustín Calleri foi o primeiro a ganhar vaga nas quartas-de-final, ao superar o espanhol Fernando Verdasco por 6/4 e 6/4, enquanto o espanhol Galo Blanco eliminou o compatriota Albert Montañes por 6/2 e 7/6.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.