Andy Brownbill / AP Photo
Andy Brownbill / AP Photo

Bouchard chama Sharapova de 'trapaceira' e diz que russa deveria ser banida

Canadense criticou convites de torneios à russa após suspensão por doping

Estadao Conteudo

27 de abril de 2017 | 11h54

Um dia após seu retorno às quadras, a tenista russa Maria Sharapova sofreu mais uma dura crítica de uma colega e rival do circuito profissional. Desta vez foi a canadense Eugenie Bouchard quem atacou a ex-número 1 do mundo devido ao caso de doping que lhe causou suspensão de 15 meses.

Bouchard, vice-campeã de Wimbledon em 2014, chamou Sharapova de "trapaceira" e disse que a russa deveria ter sido banida do esporte por ter sido flagrada com a substância Meldonium, em janeiro do ano passado. O doping causou suspensão de dois anos à Sharapova, que recorreu e obteve redução para 15 meses, junto à Corte Arbitral do Esporte (CAS).

"Ela é uma trapaceira e eu não acho que trapaceiros, em qualquer esporte, deveriam ter permissão para competir novamente", declarou a canadense, em entrevista ao canal TRT World, de Istambul, onde ela competiu nesta semana.

Para Bouchard, o retorno de Sharapova é "injusto" com as demais tenistas. "É injusto com todas as outras jogadoras, que seguem pelo caminho certo e são verdadeiras. Acho que a WTA está mandando a mensagem errada para as crianças: 'trapaceie e nós receberemos você de volta, de braços abertos'", criticou a canadense.

Ela se refere à decisão de grandes torneios do circuito de conceder convites à russa para entrada direta na chave principal, como aconteceu nesta semana em Stuttgart. Ela fez seu retorno ao circuito no saibro da competição alemã na quarta, quando venceu a italiana Roberta Vinci por 2 sets a 0. A russa também foi convidada para jogar em Roma e Madri, nas próximas semanas. E aguarda possível "wild card" para jogar em Roland Garros.

Sem estes convites, Sharapova teria que jogar torneios menores, de nível ITF até, e qualifyings das competições para somar pontos e recuperar seu ranking. No momento, ela não tem pontuação na WTA porque ficou afastada do circuito por mais de um ano.

Os convites renderam críticas de outras jogadoras, como a alemã Angelique Kerber, atual número dois do mundo, e também de jogadores, como o líder do ranking da ATP, o escocês Andy Murray.

"Não acho certo [estes convites] e ela definitivamente não é mais uma das minhas referências", declarou Bouchard, que, curiosamente, segue os passos de Sharapova no circuito ao conciliar sua trajetória no tênis com a carreira de modelo. Elas dividem um dos patrocinadores e até fizeram ensaios fotográficos juntas. Ao surgir no circuito, a canadense até ouviu comparações com Sharapova, por causa das características do seu jogo e também pela beleza.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisMaria Sharapova

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.