Brasil despenca no ranking da Davis

Há menos de um ano - em setembro de 2003, durante o US Open -, o Brasil brigava nos bastidores para ficar entre os oito cabeças-de-chave da Copa Davis, rivalizando com a Holanda, na época uma posição à frente da equipe brasileira. Agora, no ranking divulgado nesta terça-feira pela ITF, a Federação Internacional de Tênis, o País despencou para a 30ª posição, depois da derrota, em casa, diante do Paraguai.A equipe do Brasil está atrás de países como Usbequistão, Canadá, Japão, Zimbábue e muitos outros que não contam com jogadores bem colocados no ranking mundial da ATP. E o pior é que as perspectivas de uma rápida recuperação são remotas. Toda a briga política que cerca a Confederação Brasileira de Tênis só trouxe maus resultados esportivos e há a possibilidade de piorar ainda mais. Em julho, ainda sem a certeza de poder contar com as grandes estrelas como Gustavo Kuerten e Flávio Saretta, o Brasil enfrenta a Venezuela, jogando fora de casa, em Caracas, o que deve significar muitas dificuldades.A liderança do ranking é da França, que recentemente venceu a Suíça e classificou-se para as semifinais do Grupo Mundial da Davis. Em seguida, pela ordem, estão Austrália, Espanha, Rússia, Argentina, Estados Unidos, Suíça, Bielo Rússia, Suécia e Holanda.Na estrada - Gustavo Kuerten e Flávio Saretta, os dois principais tenistas brasileiros, já viajaram para a temporada européia de quadras de saibro. Ambos farão a estréia no Masters Series de Montecarlo. Saretta jogará pela primeira vez no Principado de Monaco e depois, segue para Barcelona. Guga também joga na Espanha e vai ainda para os Masters Series de Roma e Hamburgo, antes de Roland Garros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.