Cristiano Andujar/CBT
Cristiano Andujar/CBT

Brasil encara Argentina para acabar com jejum na elite da Copa Davis

Feijão enfrenta Carlos Berlocq na abertura da série em Buenos Aires

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

06 Março 2015 | 06h50

Brasil e Argentina dão início nesta sexta-feira, no saibro do Complexo Tecnópolis, em Buenos Aires, ao confronto da primeira rodada da Copa Davis. João Souza, o Feijão, terá a missão de buscar o primeiro ponto do País na série melhor de cinco jogos. O tenista enfrentará Carlos Berlocq a partir das 11 horas.

Fora do time nacional desde 2012, o paulista voltou a ser convocado após muita polêmica no ano passado, quando foi preterido pelo capitão João Zwetsch diante da Espanha. E Feijão retorna à equipe em ótimo momento na carreira. Ele teve duas boas semanas no circuito em fevereiro ao avançar à semifinal no Brasil Open, em São Paulo, e às quartas de final, no Rio Open. Com o desempenho, ele assumiu o posto de número 1 do País, com o 75.º lugar no ranking da ATP, e desbancou Thomaz Bellucci, que não vive boa fase e caiu para 87.º.

A presença de Feijão na equipe é vista de forma positiva pelo duplista Bruno Soares. "A volta de Feijão é merecidíssima, é o cara que vem jogando seu melhor tênis no momento, é o cara que merece estar ao lado do Thomaz. Ele teve duas grandes semanas no Brasil, vem com muita confiança, o que também é muito bom para a nossa equipe."

Apesar de jogarem em casa, os argentinos não têm total vantagem. A equipe não contará com Juan Martín del Potro, ex-top 5, que ainda se recupera de sua segunda cirurgia no punho esquerdo. A ausência de Juan Monaco também pode beneficiar o Brasil. O tenista ficou fora do confronto por opção do argentino Daniel Orsanic, ex-técnico de Thomaz Bellucci. 

Esse será o oitavo confronto entre Brasil e Argentina, mas as equipes não se enfrentam desde 1980. No retrospecto, os brasileiros levam a melhor por 4 a 3. Em busca de uma vaga nas quartas de final, os brasileiros tentam acabar com um jejum que dura desde 2001. A última vez que a equipe, representada por Gustavo Kuerten e Fernando Meligeni, avançou na elite do tênis foi diante do Marrocos, com uma vitória por 4 a 1.

O segundo jogo desta sexta-feira será entre Thomaz Bellucci e Leonardo Mayer. Apesar de o brasileiro ter amargado resultados ruins no circuito recentemente, ele teve papel fundamental na classificação ao Grupo Mundial diante dos espanhóis. "Estamos indo para a Argentina com um equipe forte, o Thomaz já mostrou em vários confrontos o que ele é capaz, quando ele está jogando bem, é capaz de ganhar de qualquer um", elogia Soares.

No sábado, às 13 horas, será a vez das duplas. Marcelo Melo (3.º) e Bruno Soares (12.º) enfrentarão Federico Delbonis (241.º) e Diego Schwartzman (74.º). E os brasileiros são amplos favoritos na disputa. Além de estarem melhor posicionados no ranking, eles não perdem há oito confrontos. O último tropeço dos mineiros foi diante da Índia, em setembro de 2010.

Até uma hora antes de cada partida, os capitães das equipes (João Zwetsch e Daniel Orsanic) podem mudar a escalação de quem entra em quadra. Se nenhuma das equipes fechar o confronto antecipadamente, Feijão encara Mayer no domingo, às 11 horas. Em uma prévia da Davis no Brasil Open, em São Paulo, o brasileiro levou a melhor sobre o argentino nas quartas de final. Na sequência, Bellucci fecha a série diante de Berlocq. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.