Brasil encara Croácia e busca voltar ao Grupo Mundial

Brasileiros não são favoritos nos confrontos, mas acreditam que podem surpreender os croatas

Chiquinho Leite Moreira - O Estado de S.Paulo,

18 de setembro de 2008 | 23h41

Com chances remotas de voltar ao Grupo Mundial, por onde andou na época de Gustavo Kuerten, o Brasil inicia nesta sexta-feira, na cidade de Zadar, o confronto diante da Croácia, válido pela repescagem da Copa Davis. Thomaz Bellucci, o mais talentoso jogador brasileiro da atualidade, abre a série de jogos diante de Mário Ancic, que já esteve entre os dez primeiros do ranking mundial e hoje ocupa apenas a 31.ª posição.Veja também:Croácia faz nova mudança para enfrentar Brasil na Davis Logo depois, Tiago Alves faz sua estréia nesta competição ao enfrentar o gigante croata Ivo Karlovic, de 2,08 m, em tantos centímetros que podem ser traduzidos no número de aces aplicados costumeiramente por este jogador. O SporTV2 transmite os jogos, a partir das 9 horas (de Brasília).A dupla dos croatas para a partida de sábado será formada por Kranusic e Lovro Zovko, convocado às pressas para substituir o lesionado Marin Cilic.No domingo, os confrontos de simples terão Bellucci contra o gigante Karlovic, e o embate entre Thiago Alves e Mario Ancic, que se recupera de lesão. As partidas serão disputadas em quadra rápida, que favorece o jogo de força dos anfitriões.A importância do confronto, com franco favoritismo para o time da casa, está refletido no preço dos ingressos. Para ver Croácia x Brasil, o público vai pagar apenas 7 euros (pouco mais de R$ 19), nada se comparado aos 380 euros (mais de R$ 1.000,00) cobrados para as semifinais entre Espanha, de Rafael Nadal, e Estados Unidos, de Andy Roddick, em Madri.Nestes jogos estarão mesmo as maiores emoções do fim de semana. O espanhol número 1 do mundo, Nadal, abre a série de jogos diante de Sam Querrey, jogador que fez boa campanha no US Open. Os jogos serão na Plaza de Toros de Las Ventas, com capacidade para 22 mil pessoas. A atmosfera promete ser eletrizante também para a segunda partida entre o lutador David Ferrer e a estrela norte-americana Andy Roddick.O clima de jogo de futebol também promete imperar em Buenos Aires, local da outra semifinal. No Parque Roca, a Argentina enfrenta a Rússia, com uma motivação extra. Se vencer irá fazer a final da Davis de 2008 jogando em casa. Dá para imaginar o que seria os argentinos brigando por um título dessa importância diante de uma Espanha, de Nadal, por exemplo. No primeiro jogo, David Nalbandian enfrenta Igor Andreev e, a seguir, a sensação Juan Martin Del Potro pega Nikolay Davydenko.Nas outras séries de repescagem, a Davis atraiu estrelas. Roger Federer defende a Suíça com objetivo de evitar o rebaixamento. Joga contra a Bélgica e nesta sexta enfrenta Kristof Vieglen, enquanto seu parceiro da dupla de ouro de Pequim, Stanislas Wawrinka, joga contra Steve Darcis. Novak Djokovic viajou a Bratislava para defender a Sérvia diante da Eslováquia e encara Dominik Hrbaty.Para os brasileiros existe uma esperança de vitória, como lembrou Bellucci. "Se jogarmos bem temos alguma chance de surpreender", disse. Enquanto Alves confessou-se ansioso por sua estréia na Davis. "Sei que meu adversário (Karlovic) saca muito bem, mas estou confiante e muito ansioso para jogar pela Davis".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.