Brasil perde do Chile vai disputar repescagem contra rebaixamento na Fed Cup

Brasileiras terão de passar pela Bolívia para evitar rebaixamento à segunda divisão do Zonal Americano.

Estadao Conteudo

10 Fevereiro 2017 | 21h42

Sem Bia Haddad Maia e Paula Gonçalves, o Brasil vive seu pior momento na história da Fed Cup, o equivalente, no tênis feminino, à Copa Davis. Nesta sexta-feira, pela última rodada do Zona Americano I, terceira divisão mundial, a equipe brasileira perdeu do Chile por 2 a 1, conhecendo seu terceiro revés em quatro partidas.

No primeiro jogo do confronto, no México, Gabriela Cé (506.ª do ranking da WTA) fez 2 sets a 1 em Bárbara Gatica (592.ª), com parciais de 2/6, 6/3 e 6/0. Depois, Teliana Pereira (189.ª) foi derrotada por Daniela Seguel (234.ª), com duplo 7/5. No jogo que poderia salvar o Brasil, Teliana e Gabriela foram derrotadas pela dupla formada por Daniela e Bárbara, com parciais de 7/6 (7/3), 0/6 e 6/1.

Como já havia perdido para Argentina e Colômbia, vencendo só o México, o Brasil ficou no quarto lugar do Grupo B. Assim, depois de jogar contra a Suíça pelo acesso à segunda divisão do Grupo Mundial em 2014, a equipe brasileira pela primeira vez vai ter que brigar para não ser rebaixada à segunda divisão do Zonal Americano.

No sábado, joga contra a Bolívia, que perdeu seus três confrontos no Grupo A, para Canadá, Paraguai e Venezuela. Se vencer, continua no Zonal Americano I. Se perder, jogará pela primeira vez o Zonal Americano II em 2018.

Mais conteúdo sobre:
tênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.