Brasil será cabeça-de-chave na Davis

Eliminado na primeira rodada do Grupo Mundial, ao perder por 3 a 0 para a República Checa, o Brasil deixa Ostrava com um consolo: será cabeça-de-chave na repescagem, a ser disputada em setembro, com os oito países perdedores desta primeira fase do Grupo Mundial e outros oito que se classificarem nas classificatórias das Américas, Ásia/oceania e Euro/África. A designação de cabeça-de-chave é esperada, pois o Brasil já consolidou sua tradição no Grupo Mundial, fazendo em Ostrava sua 10.ª participação na elite do tênis. Além disso, no recém criado ranking da Davis, pela Federação Internacional de Tênis (ITF), a equipe brasileira aparece na 6.ª colocação, atrás de Austrália, França, Espanha, Suécia e Estados Unidos. Mesmo com este privilégio de sair como cabeça de chave na repescagem, o técnico e capitão da equipe brasileira adverte para a importância de se jogar em casa, pois poderão vir adversários perigosos."Ainda estamos no Grupo Mundial", avisa Acioly. "Agora temos de esperar o sorteio sair, mas o principal é a gente jogar em casa." Embora o risco de se jogar fora exista, o Brasil como cabeça-de-chave já afasta a possibilidade de enfrentar equipes fortes, que neste fim de semana jogam a primeira rodada do Grupo Mundial, como Estados Unidos, Espanha, Rússia ou Suíça, Croácia ou Alemanha, França e Austrália, entre outros ainda na disputa. . "O principal é a gente permancer no Grupo Mundial", avisa Meligeni, o líder deste atual time na Croácia. "Não deu para ganhar aqui em Ostrava, mas vejo como um bom começo para estes novos jogadores." Dos possíveis adversários do Brasil, os mais fortes seriam os seguintes: Itália, Bielo-Rússia, Romênia ou Bélgica, do grupo Euro/África; Equador, Chile, México ou Canadá, da zona americana; enquanto no grupo Ásia Oceânia, Índia e Nova Zelândia seriam perigosos jogando fora de casa, e ainda há possibilidade para Uzbesquistão ou Tailândia e Japão ou Coréia do Sul.Outros resultados do grupo mundial da Copa Davis:França 2 x 0 Holanda Sebastian Grosjean (FRA) 3 x 0 Edwin Kempes (HOL) ; Arnaud Clement (FRA) 3 x 2 Sjeng Schalken (HOL) Inglaterra 1 x 1 SuéciaTim Henman (GBR) 3 x 1 Jonas Bjorkman (SUE); Thomas Enqvist (SUE) 3 x 0 Greg Rusedski (GBR);Rússia 1 x 1 Suíça Roger Federer (SUI) 3 x 0 Marat Safin (RUS);Yevgeny Kafelnikov 3 x 2 Michel Kratochvil (SUI)Espanha 1 x 1 Marrocos Juan Carlos Ferrero (ESP) 3 x 0 Hicham Arazi (MAR);Younes El Aynaoui (MAR) 3 x 0 Alex Corretja (ESP); Croácia 1 x 1 AlemanhaRainer Schuettler (ALE) 3 x 1 Iván Ljubicic (CRO);Goran Ivanisevic (CRO) 3 x 0 Nicolas Kiefer (ALE);Estados Unidos 2 x 0 Eslováquia Pete Sampras (EUA) 3 x 1 Karol Beck (ESL);Andy Roddick (EUA) 3 x 1 Jan Kroslak (ESL);Argentina 2 x 0 AustráliaGuillermo Canas (ARG) 3 x 2 Scott Draper (AUS)Gaston Gaudio (ARG) 3 x 0 Andrew Illie (AUS)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.