Brasil terá ATP, mas não garante Guga

O tênis brasileiro realiza o sonho de ter um torneio da categoria de um ATP Tour, com premiação de US$ 400 mil. A presença de Gustavo Kuerten na competição é aguardada, e o local deve ser a Costa do Sauípe, na Bahia, com data marcada de 10 a 16 de setembro. Guga já deu todo seu apoio para ter uma disputa deste nível no Brasil, mas não está convencido a disputá-la.Guga só deve mesmo voltar a jogar no Brasil, três semanas depois deste ATP Tour, num desafio internacional, que contará com estrelas internacionais, apenas para exibição, sem contar pontos para o ranking mundial.Além de ganhar um ATP Tour - torneios considerados de premiação média - o Brasil ainda sonha novamente em realizar o Masters Cup, competição milionária, que reúne ao fim de cada temporada os oito melhores tenistas do ano. A cidade de São Paulo já chegou a ganhar a sede deste evento em 2001, mas não conseguiu promovê-la e, agora, o empresário português João Lagos volta a tentar organizar o torneio, só que com muito mais força e apoio.A João Lagos Sports fez a apresentação oficial do pedido para um grupo de 15 pessoas, representando o Grand Slam, a Federação Internacional de Tênis, a Associação dos Tenistas Profissionais e os jogadores profissionais. Florianópolis chegou como forte candidata, especialmente com o apoio do governo. Mandou a Paris um time da força do secretário nacional de Esportes do Ministério da Educação, Lars Grael, o deputado estadual de Santa Catarina, Paulo Bornhausen, Jorge Pinheiro Machado, da João Lagos Sports.Além de Florianópolis concorrem para ter a sede do Masters as cidades de Xangai - uma das mais fortes candidatas - Sydney e Nova York. Se o Brasil não ganhar o evento para 2002, poderá realizá-lo em 2003. Só a premiação deste torneio é de mais de US$ 3, 5 milhões.

Agencia Estado,

06 de junho de 2001 | 16h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.