Guilherme Baddi/ Diário da Região/ Divulgação
Guilherme Baddi/ Diário da Região/ Divulgação

Brasileiros estranham escalação russa nas duplas da Copa Davis

No sorteio das partidas, Alex Bogomolov Jr. e Stanislav Vovk foram revelados como parceiros

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

13 de setembro de 2012 | 14h33

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - O capitão da Rússia, Shamil Tarpischev, voltou a mostrar um lado estratégico na Copa Davis. Durante o sorteio das partidas da repescagem do Grupo Mundial nesta quinta-feira, em São José do Rio Preto, foi anunciado que Alex Bogomolov Jr., número 90 do ranking mundial, jogará ao lado do jovem Stanislav Vovk, de 21 anos, na disputa de duplas contra o Brasil, surpreendendo a equipe da casa.

Pela experiência de Bogomolov, era esperado que ele assumisse a posição de tenista número 1 de seu país. "A mudança aconteceu por causa do clima, foi uma estratégia para que os nossos tenistas aguentem melhor o calor", justificou Tarpischev.

Apesar disso, a decisão do russo não espanta o capitão do Brasil, João Zwetsch. "A gente sabia que eles tinham três possíveis jogadores para simples, algumas diferentes combinações e alternativas. A Copa Davis é assim. O importante é ter a preparação ideal para jogar contra quem for."

 

Mas Shamil Tarpischev ainda tem a chance de mudar a escalação da equipe antes do confronto no sábado. E é nisso que aposta o brasileiro Bruno Soares, atual campeão de duplas mistas do US Open. "Acredito que vai jogar o Bogomolov e o Andreev (96.º colocado do ranking). Eu não conheço o tenista número 4 da Rússia, ele pode até ser um bom duplista, mas há grande chance de eles mudarem. Vai depender do que acontecer na sexta-feira", projetou.

O parceiro de Bruno, Marcelo Melo, também acredita que os primeiros resultados serão fundamentais para a definição de seus adversários. "Não sei vão tirar o Bogomolov, mas tem chance de mudar. O importante é que eu e o Bruno temos jogado bem individualmente e juntos também. Se a gente focar em nosso jogo, independentemente da dupla que vier, temos grandes chances de levar um ponto".

O russo Bogomolov reconhece que até o momento o favoritismo é da dupla brasileira, mas mostra bastante empolgação para atuar ao lado de Vovk, que está apenas na 465.ª posição do ranking da ATP. "A gente se complementa. Eu tenho experiência e ele é um cara jovem. Vai ser muito legal jogar ao lado dele", disse.

A Rússia já havia surpreendido em sua chegada em São José do Rio Preto. Teymuraz Gabashvili, 163.ª colocação no ranking da ATP , e Stanislav Vovk ganharam uma chance na equipe ao substituírem Evgeny Donskoy e Alex Kuznetsov.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisCopa DavisRússiaBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.