Minas Panagiotakis/AFP
Minas Panagiotakis/AFP

Bronze em Tóquio, Luisa Stefani celebra maior título da carreira em Montreal: 'Momento lindo'

Tenista brasileira volta a fazer história ao conquistar o WTA 1000 ao lado da canadense Gabriela Dabrowski

Redação, Estadão Conteúdo

16 de agosto de 2021 | 07h42

A brasileira Luísa Stefani segue fazendo história no tênis feminino. Após a inédita conquista de uma medalha olímpica em Tóquio-2020, com o bronze ao lado de Laura Pigossi, ela venceu, neste domingo, seu maior título na carreira ao conquistar o WTA 1000 de Montreal, no Canadá, ao lado da canadense Gabriela Dabrowski.

Stefani e Dabrowski conseguiram a revanche contra a eslovena Andreja Klepac e a croata Darija Jurak, suas algozes na final do WTA 500 de San Jose, nos Estados Unidos, na semana passada, triunfando por 2 sets a 0 (parciais de 6/3 e 6/4). Esta se torna a terceira conquista da brasileira em 10 finais e a primeira com a parceira canadense. Os outros dois títulos foram o WTA 250 de Tashkent (2019), no Usbequistão, e o WTA 250 de Lexington (2020), em solo americano, com a americana Hayley Carter.

Com a conquista, Stefani vai subir três posições no ranking indo ao 19.º lugar e sendo a primeira brasileira a entrar no Top 20 desde que a tabela da WTA foi criada em 1975. "Muito feliz com meu primeiro título de WTA 1000. Depois de quatro finais que escaparam essa conquista é muito especial, momento lindo que estou vivendo", comemorou.

"É uma semana e um momento muito especial para o tênis brasileiro, principalmente para nosso tênis feminino. Estou muito feliz com tudo isso, toda a visibilidade que tivemos essa semana, as transmissões dos jogos, queria agradecer muito, é muito importante para nossas meninas continuarem assistindo. Muito honrada de fazer parte de tudo isso", vibrou Stefani.

A brasileira explicou o que encaixou com a nova parceira, que jogam apenas o terceiro torneio juntas e o segundo na temporada. "Estou muito feliz dentro e fora da quadra. Aproveitando bastante essa nova parceria com a Gabi. Nosso estilo de jogo se encaixa super bem. Semana passada (em San Jose), ter feito final e disputando quatro jogos, foi muito útil para começarmos a aprender como precisávamos trabalhar e como deveríamos jogar para ter sucesso", analisou.

"Fizemos isso essa semana, trabalhamos no entrosamento e como devemos jogar, não importa o torneio e as adversárias. Nossos estilos se completam bem, temos boa variação de golpes e precisamos usar essa arma para facilitar nosso jogo. Quando conseguimos sacar e devolver bem, dificultamos muito a vida das adversárias. O foco é seguir melhorando, sermos agressivas e indo jogo a jogo, além de aproveitar a energia dessas últimas semanas", completou Stefani.

A brasileira e Dabrowski seguiram para Cincinnati, nos Estados Unidos, onde disputam mais um WTA 1000 que começa nesta segunda-feira e é o último preparatório das duas antes da disputa do US Open, Grand Slam em Nova York que tem seu início marcado para o próximo dia 30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.