AL BELLO/AFP
AL BELLO/AFP

Bruno Soares e Jamie Murray levam virada e ficam com o vice do US Open

Rajeev Ram e Joe Salisbury conquistam o torneio americano pela primeira vez e erguem o segundo troféu de Grand Slam na carreira

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2021 | 15h16

Bruno Soares ficou com o vice do US Open nas duplas masculinas. Nesta sexta-feira, o brasileiro e o seu parceiro Jamie Murray tiveram um bom início, mas foram superados pelo americano Rajeev Ram e pelo britânico Joe Salisbury de virada, por 2 sets a 1, com parciais de 3/6, 6/2 e 6/2, após 1h44 de jogo.

Com uma atuação contundente no segundo e terceiro sets da decisão, nos quais foram impecáveis, Rajeev Ram e Joe Salisbury conquistaram o torneio americano pela primeira vez e ergueram o segundo troféu de Grand Slam na carreira.

Soares buscava o quinto título do Grand Slam Americano, já que ostenta dois troféus nas duplas mistas e outros dois nas duplas masculinas. O brasileiro foi campeão do US Open nas duplas jogando ao lado de outro parceiro, Mate Pavic, em 2020, e também em 2016, com Murray. Naquele ano, também ganharam o Aberto da Austrália.

Soares teve uma trajetória notável no torneio em que parece se sentir sempre muito confortável até chegar à final com Murray juntos depois de cinco anos. Ele afirmou depois da semifinal que planejava não jogar mais neste ano depois de ter ficado um tempo parado se recuperando da cirurgia para a retirada do apêndice que o tirou dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Os planos mudaram e Soares atuou em Nova York ao lado de Murray para "curtir o momento". Na competição, teve a companhia do filho Noah, de seis anos, que acompanhou o pai em seu primeiro torneio. O filho deu sorte e a ida à decisão acabou sendo uma surpresa até para o tenista mineiro de 39 anos, número 11 do mundo, superando a frustração de não ter disputado a Olimpíada de Tóquio.

Mesmo com o brasileiro fora do ritmo de jogo ideal, os dois fizeram ótimas exibições nos Estados Unidos, mas não foram capazes de superar Rajeev Ram e Joe Salisbury, que jogaram um tênis de altíssimo nível, especialmente no segundo e terceiro sets, em que foram quase perfeitos e encontraram a sintonia fina.

O primeiro set foi definido no detalhe. Ram e Salisbury começaram um pouco abaixo, salvaram duas quebras no primeiro game, mas depois Soares e Murray conseguiram duas quebras consecutivas na reta final, no sétimo e no nono games. 

O americano e o britânico voltaram melhores na segunda parcial e foram dominantes. Agressivos, abriram 4/0 de cara com duas quebras seguidas e administraram a larga vantagem até vencer a parcial.

No último e decisivo set, Ram e Salisbury mantiveram o nível, repetindo o cenário da parcial anterior. Eles obtiveram uma quebra no primeiro game e encurralaram o brasileiro e o britânico, que não encontraram uma alternativa para reverter a desvantagem. Tiveram o saque quebrado mais uma vez e viram os cabeças de chave número 4 confirmar a virada e ficar com o título em Nova York.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.