Rio Open
Rio Open

Bruno Soares e Jamie Murray vencem e vão disputar a final do Rio Open

Dupla formada por brasileiro e britânico supera Horacio Zeballos e Marcel Granollers por 2 sets a 0

Redação, Estadão Conteúdo

19 de fevereiro de 2022 | 23h23

Após cinco tentativas, Bruno Soares garantiu, neste sábado, uma vaga na final do Rio Open. O brasileiro e seu parceiro, o britânico Jamie Murray, venceram os campeões de 2020 e favoritos ao título, o argentino Horacio Zeballos e o espanhol Marcel Granollers, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2.

Esta será a terceira vez que o Brasil terá um representante na final de duplas. Em 2014, Marcelo Melo e o espanhol David Marrero foram vice, mesmo resultado de Rogério Dutra Silva e Thomaz Bellucci em 2019. Bruno fez cinco semifinais do torneio, duas ao lado de Murray, em 2017 e 2018.

"É muito especial estar na final aqui, é por esses momentos que eu ainda jogo tênis. Tenho a chance de vencer em casa uma vez por ano, porque só temos um torneio ATP no Brasil. Poder concretizar isso amanhã, na frente da torcida, dos meus amigos e familiares, vai ser uma das maiores conquistas da minha carreira. Difícil comparar com um Grand Slam, mas será maior do que ganhar um Masters 1000. Se eu pudesse escolher entre ganhar Indian Wells e Rio Open, não tenho dúvida de que prefiro o Rio Open", disse o tenista de 39 anos.

Murray está confiante para a decisão. "Viemos aqui para vencer o torneio, e faremos o melhor para poder conquistar o título."

Bruno Soares soma três títulos de Grand Slam nas duplas - US Open 2020, Australian Open e US Open 2016, os dois últimos com Murray. Esta é a terceira vez que ele joga no Rio com o britânico. Juntos conquistaram 12 títulos no total, e Bruno tem 35 em toda a carreira. A final do Rio Open será a 23ª da dupla. Eles retomaram a parceria no ano passado e já ganharam dois troféus - St. Petersburgo e Melbourne, além de serem vice no US Open.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.