Realls/ATP
Realls/ATP

Bruno Soares encerrará parceria com Jamie Murray em Roland Garros

Tenista brasileiro agora vai jogar ao lado do croata Mate Pavic, ex-número 1 do mundo

Redação, Estadão Conteúdo

27 de maio de 2019 | 16h15

O tenista Bruno Soares anunciou nesta segunda-feira que está encerrando a dupla com o britânico Jamie Murray. A parceria, que conquistou dois títulos de Grand Slam, vai chegar ao fim após a disputa de Roland Garros, última competição da dupla. A decisão de finalizar a parceria partiu do britânico.

"A ideia partiu do Jamie. Ele achou que estava precisando mudar um pouco, dar uma chacoalhada e que os resultados estavam abaixo do esperado, apesar de termos ido super bem no começo da temporada de saibro, a gente estava instável. Mas, está tudo bem e vamos fazer o nosso melhor para terminar a parceria com tudo aqui em Paris", comentou Soares.

Soares e Murray passaram a jogar juntos no início de 2016 e, logo no ano de estreia, faturaram os dois Grand Slams da parceria: o Aberto da Austrália e o US Open, ambos em quadra rápida. No saibro e na grama, contudo, não conseguiram repetir as boas performances. Mesmo assim, conquistaram juntos 10 troféus.

"Foram três anos e meio de parceria em que conquistamos muitas coisas: dois títulos de Grand Slam, chegamos a terminar uma temporada como a dupla número um do mundo, ganhamos dez torneios no total, mas é hora de seguir em frente", declarou o tenista brasileiro. Nesta temporada, ele e Murray conquistaram um título, em Sydney, e foram vice-campeões em Barcelona.

A despedida deles terá início nesta terça-feira, quando estrearão em Roland Garros. Cabeça de chave número dois, a dupla enfrentará os italianos Matteo Berrettini e Lorenzo Sonego. Em Paris, o brasileiro jogará também nas duplas mistas ao lado da norte-americana Nicole Melichar.

FUTURO

Soares já sabe com quem jogará após Roland Garros. Será com o croata Mate Pavic, ex-número 1 do mundo, no ano passado, e atual 12º do ranking. O tenista de 25 anos tem um título de Grand Slam no currículo, obtido no ano passado, no Aberto da Austrália, ao lado do austríaco Oliver Marach. Ao todo, Pavic soma 14 troféus no circuito profissional.

Eles vão começar a jogar juntos já na temporada de grama, que terá início logo após o fim de Roland Garros. Murray, por sua vez, ainda não anunciou com quem vai passar a jogar. Na grama, principalmente em Wimbledon, há chance de ele atuar com o irmão Andy, que se recupera de cirurgia no quadril e tem como meta voltar a jogar na chave de duplas em Londres.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.