Bruno Soares viaja para estrear nova parceira preocupado com o entrosamento

O brasileiro Bruno Soares embarca nesta quinta-feira para Doha, onde vai iniciar a temporada 2016, com a preocupação de acelerar o entrosamento com Jamie Murray, o seu novo parceiro nas duplas. O mineiro destaca que terá apenas dois torneios de preparação com o britânico, irmão de Andy Murray, visando a disputa do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada, em Melbourne.

Estadão Conteúdo

30 de dezembro de 2015 | 13h57

"Vamos nos encontrar lá em Doha e começar a se entrosar. É um período muito curto antes de um Grand Slam, mas vamos fazer o melhor possível como dupla. Estou animado para fazer a nossa estreia juntos", disse Soares, o 22º colocado no ranking de duplistas da ATP.

Soares e Murray vão participar do Torneio de Doha, de nível ATP 250, a partir de 4 de janeiro. Depois, na semana seguinte, eles vão jogar em Sydney, em um ATP 500, encerrando a preparação para o Aberto da Austrália, onde jogará o torneio de duplas mistas ao lado da russa Elena Vesnina. Depois, o seu calendário prevê o retorno ao País para a participação no Rio Open (a partir de 15 de fevereiro) e do Brasil Open (22 de fevereiro).

Além da mudança de parceiro, Soares agora tem novo treinador, Hugo Daibert, com quem trabalhou na pré-temporada em Belo Horizonte. E o mineiro se mostrou animado com as alterações, otimista a voltar a figurar entre os melhores duplistas do mundo.

"A pré-temporada esse ano foi muito boa. Consegui felizmente treinar bastante tempo aqui em Belo Horizonte, o que há muito tempo não acontecia. Já fazia a preparação física aqui com o Chriszogno Bastos há muitos anos e agora com a entrada do meu novo técnico, o Hugo Daibert, consegui treinar muito forte aqui em BH. Estou me sentindo muito bem preparado, técnica e fisicamente o que é muito importante para o início do ano. A gente sabe que a temporada é longa e corrida", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBruno Soares

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.