EFE/ CHRISTOPHE PETIT TESSON
EFE/ CHRISTOPHE PETIT TESSON

Campeã de Roland Garros, Swiatek manda recado à Ucrânia: 'Continue lutando'

Tenista polonesa mostra seu apoio ao receber o troféu do torneio, sua segunda conquista no Grand Slam da França

Redação, Estadão Conteúdo

04 de junho de 2022 | 16h00

A polonesa Iga Swiatek usou o título de Roland Garros, conquistado neste sábado após vencer a americana Cori Gauff, por 2 sets a 0, parciais de  6/1 e 6/3, para declarar o seu apoio ao povo ucraniano, que está em guerra com a Rússia. Ela pediu para que eles continuem lutando.

"Queria só dizer algo à Ucrânia. Continuem fortes e lutando. A guerra ainda continua lá. Desde o meu primeiro discurso em Doha, esperava que no próximo a situação tivesse melhorado, mas ainda tenho esperança e quero apoiar", disse a polonesa, antes de receber muitos aplausos dos espectadores presentes na quadra principal de Roland Garros.

Esta foi a segunda conquista do Aberto da França da polonesa, que havia levantado o troféu também em 2020. Desta vez, ela admitiu ter ficado mais nervosa ao enfrentar a americana Coco Gauff, de apenas 18 anos, uma das sensações do tênis feminino.

"Há dois anos, ganhar este título foi fantástico. Não esperava nunca. Mas desta vez sinto que trabalhei duro, fiz tudo para chegar aqui. Foi muito difícil, a pressão era enorme. Obrigado a todos os fãs, vejo muitas bandeiras da Polônia. É bom ter vocês nos meus momentos difíceis. Tenho motivação extra cada vez que venho aqui e adoro sempre voltar", completou.

Sobre a adversária, a campeã de Roland Garros disse: "Disse a Coco para não chorar e olhar para mim! Quero dar os parabéns, porque ela tem feito um trabalho incrível, posso ver isso todos os meses. Quando eu tinha a idade dela estava no meu primeiro ano no circuito e não fazia ideia do que estava a vir. Ela vai chegar lá, não tenho a menor dúvida", finalizou.

Tudo o que sabemos sobre:
Iga SwiatekRoland Garros [tênis]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.