Regis Duvignau/Reuters
Regis Duvignau/Reuters

Campeã em Roland Garros, Schiavone anuncia aposentadoria do tênis aos 38 anos

Italiana se despede das quadras durante disputa do Us Open, em Nova York

Estadão Conteúdo

05 Setembro 2018 | 20h06

A italiana Francesca Schiavone anunciou nesta quarta-feira sua aposentadoria do tênis. Aos 38 anos, ela comunicou a decisão em uma emocionada entrevista coletiva em Nova York, durante o US Open, e encerra uma carreira que teve como ponto alto a conquista do título em Roland Garros, em 2010.

"Para mim, é um momento muito importante da minha vida. Eu cheguei a esta decisão, de dizer adeus ao tênis, com meu coração. Porque minha cabeça, quando cheguei aqui, disse: 'Por favor, vá para a quadra, vá lutar'. Mas meu coração diz que estou em paz assim. Estou muito feliz com a minha carreira, minha vida, tudo", declarou.

Schiavone estava sem atuar desde julho, quando caiu na primeira rodada do Torneio de Gstaad. Em 22 anos de carreira profissional, ela se estabeleceu como a única italiana a ganhar um título de simples em Grand Slam e a primeira tenista do país a figurar no Top 5 do ranking, ao aparecer na quarta colocação no início de 2011.

"Quando eu tinha 18 anos, tinha dois sonhos. O primeiro era vencer Roland Garros, e o segundo era aparecer no Top 10 do ranking. E eu realizei ambos. Então, sou muito, muito feliz e sortuda. Após 20 anos de carreira e vida, eu tenho novos sonhos. O coração, eu acho, precisa de sonhos todos os dias", comentou.

No total, Schiavone conquistou oito títulos de simples no circuito da WTA, incluindo o Rio Open de 2016, no Brasil. A tenista também tem no currículo um vice-campeonato em Roland Garros, em 2011, quando defendia o título mas perdeu para a chinesa Na Li na final.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.