John G. Mabanglo/EFE
John G. Mabanglo/EFE

Campeã no US Open, Clijsters quer mais tempo com a família

'Não vejo a hora de recuperar a rotina de casa e passar uma semana com a filha', disse a belga depois do título

EFE

14 de setembro de 2009 | 10h14

Depois do título no US Open, Kim Clijsters não falou em projetos de competições futuras, ranking mundial ou qualquer outra coisa ligada ao tênis. A belga não vê a hora de "recuperar a rotina de casa e passar uma semana com a filha".

Veja também:

link Depois do título, Clijsters assume a 19.ª posição

link Clijsters vence Wozniacki e conquista o US Open

mais imagens Confira as imagens da decisão

especial US OPEN - Leia mais sobre o torneio

especial QUIZ - Responda às perguntas sobre o US Open

especial INFOGRÁFICO - Saiba tudo sobre o torneio

Clijsters se mostrou muito emocionada após conseguir o ponto da vitória sobre a dinamarquesa Caroline Wozniacki, por 2 sets a 0 (7-5 e 6-3). Após apertar a mão da rival, foi ao local onde estava os componentes de sua equipe e seu marido Bryan Lynch.

 

Pelo placar eletrônico pôde saudar sua filha Jada, protegida por sua cuidadora em uma das entradas para as arquibancadas. Não foi à quadra até o final, quando sua mãe recebeu a taça. A belga não falou em voltar à competição.

 

"Ajudou-me muito o fato de minha filha estar aqui. Agora quero voltar para casa e recuperar a rotina de uma família normal. A menina se divertiu muito em Nova York e isso é o que queríamos, que a rotina da competição não pudesse influir nela, disse a tenista.

 

Kim Clijsters reconheceu que uma vitória no US Open não estava nos seus planos. "Este não era o meu plano. Tinha voltado para ver como estavam as coisas, para recuperar sensações. Graças à USTA (Federação de Tênis dos Estados Unidos) por dar-me a oportunidade de jogar e finalmente defender meu título ganho em 2005", acrescentou a belga.

 

Clijsters não esqueceu de agradecer o apoio de todas as partes desde seu retorno à competição. "É uma loucura o apoio que tive de todas as partes. Desde o primeiro dia tive o apoio das pessoas. É incrível como me receberam desde meu retorno e realmente foram muito importantes para me sentir tão recebida nas rodadas finais, com jogadoras de tanto nível", disse.

 

Minutos depois sua filha de um ano e meio foi à quadra do Arthur Ashe Stadium e brincou em volta de sua mãe, animada pela expectativa e pelos flashes.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisGrand SlamUS OpenKim Clijsters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.