EFE/EPA/ANDY RAIN
EFE/EPA/ANDY RAIN

Campeão do US Open de 2020, Thiem desiste de Montecarlo após contrair covid-19

Apesar de testar negativo para a doença nesta semana, tenista decidiu manter sua decisão por precaução; artista foi infectado durante torneio realizado na Espanha

Redação, Estadão Conteúdo

07 de abril de 2022 | 12h18

Campeão do US Open de 2020, o tenista austríaco Dominic Thiem desistiu de disputar o Masters 1000 de Montecarlo, em Mônaco, na próxima semana. O ex-número três do mundo decidiu abrir mão do importante torneio de saibro após contrair covid-19. Mais cedo, o italiano Matteo Berrettini também anunciou que não competirá em Montecarlo neste ano.

Pelas redes sociais, Thiem explicou que contraiu a doença na semana passada, quando disputava um torneio da série Challenger na Espanha. Ele revelou que já testou negativo para a covid-19 nesta semana. Mas, por precaução, decidiu não entrar em quadra em Montecarlo.

O austríaco de 28 anos vem enfrentando seguidos problemas de lesão nas últimas duas temporadas, justamente após despontar no circuito, com dois vice-campeonatos em Roland Garros e um no Aberto da Austrália. A partida disputada no Challenger, na semana passada, foi a primeira em nove meses, desde que sofreu uma lesão no punho no Torneio de Mallorca, também na Espanha, no ano passado.

Em busca da sua melhor forma física e técnica, Thiem agora voltará para casa para recuperar o tempo perdido na semana passada, quando não pôde treinar adequadamente em razão da covid-19. Ele não revelou em que semana pretende retornar ao circuito.

O austríaco não será a única baixa de peso em Montecarlo. O italiano Matteo Berrettini, atual vice-campeão de Wimbledon, vai perder quase toda a gira de saibro na Europa. Ele sofreu uma cirurgia na mão após desistir do Masters de Miami, na semana passada, por conta de dores no local.

O atual número seis do mundo confirmou que não vai disputar os Masters de Montecarlo, Madri e Roma, onde jogaria em casa. Seu retorno pode acontecer em Roland Garros, em Paris, no fim de maio.

Por outro lado, o torneio disputado em Mônaco terá o retorno de Novak Djokovic. O sérvio disputou apenas uma competição neste ano, em Dubai, após ser deportado da Austrália, sem poder disputar o primeiro Grand Slam da temporada. Ele perdeu os Masters 1000 de Indian Wells e Miami, ambos nos Estados Unidos, por não ter se vacinado contra a covid-19.

APOSENTADORIA

A gira de saibro, que começou nesta semana com torneios menores na Europa, terá também uma despedida de peso no circuito. O francês Jo-Wilfried Tsonga decidiu se aposentar após disputar Roland Garros pela última vez, neste ano. Aos 36 anos, o ex-número 5 do mundo enfrentou diversos problemas físicos nos últimos anos.

"É com muita emoção que anuncio hoje a minha decisão de encerrar a minha carreira profissional em Roland Garros. Foram tantos momentos incríveis, de alegria que pude compartilhar com um público que me deu tanto... Estou esperando mais um último momento de emoção com vocês!", anunciou o dono de 18 títulos de nível ATP.

Nos Grand Slams, seu melhor resultado foi o vice-campeonato do Aberto da Austrália de 2008. Muito querido pelos fãs no circuito, Tsonga se destacou também pelas boas partidas que fez com os principais tenistas do circuito. Ele obteve vitórias sobre o suíço Roger Federer, sobre o espanhol Rafael Nadal e sobre Djokovic.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.