Alejandro Pagni / AFP
Alejandro Pagni / AFP

Campeão, Thiem pegará espanhol que encerrou jejum de 2 anos e chorou no Rio Open

Pablo Andujar passou lesão no cotovelo, três cirurgias e fase ruim dentro da quadra

Estadão Conteúdo

21 de fevereiro de 2018 | 10h18

Atual campeão do Rio Open, o austríaco Dominic Thiem abriu campanha nesta edição do ATP 500 realizado no Jockey Club Brasileiro com uma tranquila vitória sobre o sérvio Dusan Lajovic por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 7/5, em duelo encerrado no final da noite da última terça-feira.

+ Monfils salva match point, vence e encara Cilic no Rio Open

+ Monteiro leva virada e deixa Brasil fora da chave de simples do Rio Open

Atual sexto colocado do ranking mundial e segundo cabeça de chave da competição realizada em quadras de saibro, o tenista da Áustria terá pela frente nas oitavas de final o espanhol Pablo Andujar, que em outro confronto da rodada de terça passou pelo austríaco Gerald Melzer por 7/5 e 6/2. Com o triunfo, o tenista da Espanha encerrou um duro jejum de mais de dois anos sem vitórias em torneios do circuito da ATP.

Atrapalhado por uma séria lesão no cotovelo direito e submetido a três cirurgias, sendo uma delas no ombro direito, Andujar não ganhava uma partida deste nível desde janeiro de 2016, quando estreou com vitória no Torneio de Doha. Depois disso, caiu na segunda rodada do evento árabe e amargou nove derrotas seguidas em estreias em competições da elite do tênis profissional.

As lesões também o afastaram de toda a temporada passada no circuito da ATP e o fizeram despencar para a 1821ª posição do ranking mundial, no qual já figurou em 32º lugar em 2015. E, após o triunfo da última terça-feira, Andujar se emocionou com o fim de um longo período de martírio em sua carreira. "Depois de tanto tempo, voltei a me sentir como um jogador de tênis de verdade", comemorou o espanhol, chorando, para depois ressaltar o simbolismo que este triunfo no Brasil teve para ele, que se lesionou durante a temporada de 2015.

"Para mim é muito importante. Estou há muito tempo trabalhando para voltar e ganhar um jogo assim, depois de tanto tempo sem poder estar 100% (em sua condição física), acho que já merecia uma vitória. O trabalho duro de todo este tempo, com quase dois anos e meio sem poder competir com 100%, já valeu para mim", enfatizou.

Em 2016, ano de maior sofrimento de sua carreira, Andujar foi derrotado por Dominic Thiem justamente no Rio Open, no qual anteriormente foi semifinalista em 2014 e se viu muito próximo de surpreender o espanhol Rafael Nadal. Na capital fluminense, ele foi batido por 2 sets a 0 pelo austríaco na única partida travada entre os dois até hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.