David Crosling/EFE
David Crosling/EFE

Cansado, Nishikori abandona e Djokovic encara Pouille na semifinal em Melbourne

Tenista alega forte desgaste físico e abandona confronto após 52 minutos

Redação, Estadão Conteúdo

23 de janeiro de 2019 | 08h49

O sérvio Novak Djokovic precisou de apenas 52 minutos para garantir nesta quarta-feira a sua vaga na semifinal do Aberto da Austrália. O número 1 do mundo avançou com facilidade em Melbourne porque o japonês Kei Nishikori abandonou a partida no segundo set, em razão do forte desgaste físico.

O número nove do mundo desistiu do duelo quando perdia por 6/1 e 4/1. Visivelmente abatido, ele alegou dores na coxa direita para deixar o jogo mais cedo. Nishikori vinha de uma forte sequência de jogos, na qual venceu três jogos que duraram cinco sets. O último deles, nas oitavas de final, durou cinco horas.

Nesta quarta, o vice-campeão do US Open de 2014 chegou a receber atendimento médico em razão das dores na perna, ao fim do primeiro set. Jogando em baixo nível, por conta do cansaço, o japonês havia sofrido quatro quebras de saque diante do líder do ranking, que não tivera o serviço ameaçado até a desistência do seu rival.

Com o resultado, Djokovic manteve a sua busca pelo sétimo título em Melbourne, o que seria um recorde. Na semifinal, o sérvio vai enfrentar o francês Lucas Pouille, que surpreendeu nesta quarta ao derrotar o canadense Milos Raonic por 3 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/4), 6/3, 6/7 (2/7) e 6/4, em 3h02min de duelo.

Ex-número 10 do mundo e atual 31º do ranking, Pouille conteve o poderoso saque do canadense, autor de 25 aces no jogo, e se saiu melhor nos pontos mais importantes do duelo. O francês terminou o jogo com três quebras de serviço, contra apenas um do rival. E cometeu menos erros não forçados: 24 a 34. Ao mesmo tempo, disparou mais bolas vencedoras: 62 a 59.

Com o triunfo, Pouille avançou a uma semifinal de Grand Slam pela primeira vez na carreira. Até então, seu melhor resultado em torneios deste nível era a fase de quartas de final em Wimbledon e no US Open de 2016. O francês voltará a figurar no Top 20 do ranking na próxima semana, em razão da boa campanha na Austrália.

A outra semifinal em Melbourne já estava definida. Será entre o espanhol Rafael Nadal, atual número dois do mundo, e o grego Stefanos Tsitsipas, 15º do ranking e algoz do suíço Roger Federer nas oitavas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.