Sebastião Moreira/EFE
Sebastião Moreira/EFE

Capitão acredita em recuperação do Brasil na Copa Davis

Só uma vitória de Thomaz Bellucci mantém equipe na briga

FABIO BISPO, O Estado de S. Paulo

19 de setembro de 2015 | 17h45

Só uma vitória de Thomaz Bellucci, na manhã deste domingo, pode manter o Brasil vivo na disputa contra a Croácia na repescagem da Copa Davis, em Florianópolis. Neste sábado, a equipe adversária venceu nas duplas e abriu vantagem de 2 a 1 no confronto. O principal jogador brasileiro e 30º do mundo enfrenta o jovem Borna Coric, 33º no ranking, a partir das 10 horas no saibro do Costão do Santinho. "Vamos correr atrás do placar e encontrar uma força a mais", disse o capitão brasileiro João Zwetsch.

Os croatas Ivan Dodig e Franko Skugor quebraram a invencibilidade de dez jogos de Marcelo Melo e Bruno Soares e estão mais perto da vitória, que vale uma vaga na elite do tênis em 2016. Os brasileiros demoraram para entrar no ritmo do jogo e perderam a partida por 3 sets a 1 (6/0 3/6 7/6(2) 7/6(3)).

"O Marcelo e o Bruno têm um histórico tão vencedor, tão positivo, que fica essa sensação estranha. Para mim, é a melhor dupla de Copa Davis do mundo. Mas tênis é um esporte complicado, às vezes as coisas não são tão simples como parecem", declarou Zwetsch. Esta foi a segunda derrota da dupla em 11 partidas, a primeira foi contra a Índia em 2010.

Bruno Soares disse que a equipe entrou em quadra de forma atípica no saibro do Costão do Santinho. "Foi uma mistura de não aproveitar as chances, mas a grande maioria veio mais por méritos deles do que por bobeira nossa", disse. Depois de um início de partida 6/0 ruim, a equipe até esboçou reação, transformando o quarto set numa batalha de nervos. "Tivemos um momento mágico de ressurreição, quebramos, a galera foi abaixo, foi o nosso momento ali, mas escapou".

Vencedor ao lado de Dodig em Roland Garros em junho deste ano, Marcelo Melo disse que a equipe jogou bem, apesar da derrota. "Tentamos buscar uma saída, achamos algumas, mas o mais importante foi isso. Independentemente do que acontece no primeiro set, consegui buscar soluções, lutando. Se tomasse de 0, 2, 1 aí sim estaria muito frustrado", disse.

Para Zwetsch, o confronto ainda está aberto e o Brasil vai buscar as duas vitórias neste domingo: "O Marcelo e o Bruno têm muito crédito na casa por muitas vitórias e está na hora de a gente retribuir, entrar amanhã e pegar esses dois pontos para nós e fazer uma virada legal nesse confronto. Bellucci x Coric é um jogo-chave. O Feijão jogou um tênis que me agradou muito, evoluiu nos treinos e apresentou um tênis de qualidade muito boa. Foi uma atuação boa e esperançosa para contar com esse quinto ponto, caso venha a acontecer".

O capitão espera contar com o apoio da torcida para incentivar Bellucci e Feijão, caso consiga chegar ao quinto jogo. "É fator fundamental na Copa Davis a ser usado. Ainda mais amanhã, que vamos correr atrás do placar, do início ao fim será superação". O duelo entre Bellucci e Coric é um dos mais esperados na competição. No ano, o croata tem 23 vitórias e 22 derrotas. Já Bellucci, único brasileiro a vencer em Florianópolis, tem 27 triunfos e 22 derrotas.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisCopa DavisJoão Zwetsch

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.