Capriati é campeã em Roland Garros

A talentosa Jennifer Capriati conheceu o céu e o inferno no seu caminho para o paraíso. Depois de aparecer como garota prodígio do tênis norte-americano - assinou contrato de US$ 5 milhões quando ainda tinha 14 anos - caiu em tentação e descobriu o lado selvagem da vida, sendo presa por envolvimento com drogas e pequenos roubos. Persistente, demonstrou que nada a derrubaria tão fácil e voltou a transformar-se numa das maiores tenistas do mundo. Neste sábado manteve o espírito lutador ao vencer o terceiro e decisivo set por 12/10 e conquistar o título de Roland Garros, superando na final a revelação belga, Kim Clijters por 2 a 1, parciais de 1/6, 6/4 e 12/10. Este é o segundo troféu do Grand Slam que Capriati conquista este ano, depois de ter sido campeã também no Aberto da Austrália. Com isso, já fez a metade do caminho para fechar o Grand Slam, ou seja, ganhar os quatro maiores torneios do planeta. Mas, por hora, ela só pensa em comemorar e aproveitar o bom momento. "Nem penso ainda nos próximos torneios", disse Capriati. "Agora só quero tirar um dias de folga e depois estar descansada para jogar Wimbledon." Com o título em Roland Garros, Capriati vai manter a quarta colocação no ranking mundial e emocionou a torcida - que estava mais para Clijsters - ao dedicar seu troféu a Corina Morariu, tenista norte-americana que sofre de leucemia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.