CAS reduz pena e libera Cilic para voltar ao tênis

A suspensão de Maric Cilic por doping foi reduzida de nove meses para quatro nesta sexta-feira, o que o libera a participar do Masters 1000 de Paris na próxima semana. O recurso do tenista croata na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) foi aceito pelo tribunal, que também havia recebido ação da Federação Internacional de Tênis (ITF) solicitando a suspensão do jogador por dois anos, o que foi rejeitado.

AE-AP, Agência Estado

25 de outubro de 2013 | 09h20

"O painel determinou que o grau de falta cometida pelo atleta foi inferior ao estabelecido na decisão", disse o tribunal, em um comunicado. "O painel também determinou que a sanção imposta era muito grave tendo em vista o grau do delito e concluiu que deveria ser reduzida a quatro meses".

O tribunal disse que o croata, de 25 anos, está liberado para voltar ao tênis a partir da meia-noite desta sexta-feira. O caso de Cilic foi acelerado após uma audiência de apelação em Londres na semana passada, com um veredicto sendo prometido a ser dado antes do sorteio desta sexta-feira do Masters 1000 de Paris.

Cilic testou positivo para um estimulante proibido, a niquetamida, no Torneio de Munique, em maio. Ele alegou que não teve a intenção de ingerir a substância, que teria consumido através de tabletes de glicose comprados por outra pessoa em uma farmácia, e entrou com um recurso na CAS. A ITF solicitou uma suspensão de dois anos, apelando do veredicto de seu próprio tribunal independente.

Número 9 do mundo em fevereiro de 2010, Cilic caiu do 12º para o 47º lugar no ranking da ATP após ser suspenso provisoriamente em 26 de junho. Na decisão desta sexta, a CAS retirou os pontos e prêmios conquistados pelo croata em Munique, mas determinou que os resultados dos torneios seguintes devem seguir valendo. Além disso, agora Cilic está liberado para retornar ao tênis.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisCASMarin Cilicdoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.