CBT adia eleições e agrava crise

A Confederação Brasileira de Tênis (CBT) decidiu nesta terça-feira adiar por quase dois meses a realização das eleições presidenciais que estavam marcadas para o dia 15 de maio. Com isso, a crise que tomou conta do tênis brasileiro no início deste ano, deverá se agravar ainda mais. As eleições iriam definir o sucessor de Nelson Nastás, pivô do boicote liderado por Gustavo Kuerten na Copa Davis. Segundo a CBT, o adiamento foi feito a pedido das federações estaduais. Em protesto contra a permanência de Nastás no comando da Confederação, Guga e os principais tenistas do país se recusaram a disputar o confronto com o Paraguai pela Copa Davis, em abril. Assustado com a reação dos jogadores, Nastás recuou e decidiu antecipar em oito meses a realização das eleições. Além disso, se comprometeu a não concorrer. Mesmo assim, os tenistas mantiveram o boicote.A eleição está prevista agora para o dia 2 de julho, duas semanas antes do duelo Brasil x Venezuela pela segunda divisão da Copa Davis. Se o Brasil perder, cai para a 3ª divisão. Guga diz que enquanto Nastás continuar no cargo não disputa a competição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.