CBT rebate acusações catarinenses

Presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Nelson Nastás, diz que a entidade responderá na Justiça às denúncias feitas pela Federação Catarinense, que entrou com uma ação contra a CBT requerendo a verificação de prestações de contas dos exercícios fiscais de 1999 a 2001 e suas atas, além de documentos contábeis de 2002, bem como a ata da reeleição do presidente em 2000. "Tudo isso é infundado. Apesar de negar, ele (Jorge Lacerda Rosa, presidente da FCT) está querendo o poder pelos caminhos errados, trazendo prejuízo ao tênis", diz Nastás, que tem mandato até o fim de 2004. Segundo Nastás, todas as prestações requeridas pela FCT foram aprovadas pela mesma em assembléia. "Como a FCT pode aprovar a prestação de contas e contestar anos depois? Eles ainda estão cobrando a referência de um valor na prestação de contas de 2001, relativo à Copa Davis, que não existe. A própria FCT não conseguiu receber diretamente a verba do poder público, por não poder comprovar os gastos que efetuou com a construção do centro de treinamento de alto rendimento de tênis." Nastás embarcou nesta terça-feira para a Croácia, para acompanhar a equipe brasileira na repescagem do Grupo Mundial da Fed Cup, versão feminina da Copa Davis, no fim de semana. O dirigente diz que não existe premiação para jogos zonais na Fed Cup. Mas na repescagem, mesmo que perca, a equipe repartirá US$ 6,5 mil. Se vencer, o prêmio é de US$ 13 mil.

Agencia Estado,

15 de julho de 2003 | 21h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.