Checa de 19 anos elimina Mauresmo no Aberto da Austrália

A tenista checa Lucie Safarova, número 70 do mundo, protagonizou a grande surpresa da rodada do Aberto da Austrália ao eliminar a francesa Amélie Mauresmo, defensora do título e segunda cabeça-de-chave, por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/3. O resultado garantiu a jovem de 19 anos nas quartas-de-final do primeiro Grand Slam da temporada.Apesar do resultado inesperado, Safarova, não é desconhecida no circuito da Associação das Tenistas Profissionais (WTA). Além de ter conquistado três títulos - Gold Coast, Estoril e Forest Hills -, ela já esteve no top 30 no ano passado, quando atingiu a 26.ª posição."Ainda não acredito no que fiz. Ainda estou muito empolgada com tudo isso", desabafou Safarova, que reconhece que estava muito nervosa. "Talvez tenha ficado um pouco tensa no começo. Não sabia o que esperar. Era minha primeira vez na Rod Laver Arena. Mas foi melhorando cada vez mais", acrescentou.Safarova, que ainda não perdeu nenhum set no torneio, vai disputar uma vaga nas semifinais contra a compatriota Nicole Vaidisova, que passou pela russa Elena Dementieva, sétima pré-classificada, por 2 a 0, com duplo 6/3. Em três confrontos entre as classificadas pelo circuito profissional, Vaidisova levou a melhor em duas ocasiões.Em outro jogo do dia, a norte-americana Serena Williams passou pela sérvia Jelena Jankovic por 2 a 0, com parciais de 6/3 e 6/2. "É absolutamente sensacional. Simplesmente joguei um pouco do meu melhor tênis aqui. Sinto que estou no caminho certo", comentou a ex-número 1 do mundo, que sequer aparece como cabeça-de-chave. Ela sofreu diversas lesões em 2006 e atuou em apenas quatro competições, despencando para o 81.º posto no ranking.A sua próxima adversária no Aberto da Austrália será a israelense Shahar Peer, que surpreendeu ao eliminar a russa Svetlana Kuznetsova, cabeça-de-chave número três, por 2 sets a 0, com 6/4 e 6/2. No único jogo entre elas, realizado em 2005, a norte-americana ganhou no Torneio de Miami.Matéria atualizada às 9h25

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.