Chuva atrapalha de novo o qualifying do Aberto da Austrália

Brasileiro Feijão teve o seu confronto suspenso quando empatava por 1 set a 1 com Flávio Cipolla

AE, Agência Estado

13 de janeiro de 2011 | 10h00

A chuva que impediu que a primeira rodada do qualifying do Aberto da Austrália fosse terminada na última quarta-feira voltou a marcar presença nesta quinta e adiou mais uma vez a definição dos últimos classificados à segunda rodada do qualificatório para o primeiro Grand Slam do ano, que começa na próxima segunda.

Entre os jogos com continuidade pendente está o do brasileiro João Souza, o Feijão, que teve o seu confronto suspenso na última quarta quando empatava por 1 set a 1 com o italiano Flávio Cipolla e perdia a parcial derradeira por 1 a 0.

Caso vença o tenista da Itália, Souza irá encarar na segunda rodada do qualifying o alemão Matthias Bachinger, 189.º do ranking mundial, que superou o local Chris Guccione por 2 sets a 1, com 7/6 (7/2) e 6/1. O brasileiro, atual 111.º do mundo, tenta avançar pela primeira vez à chave principal de um Grand Slam.

Outros dois brasileiros que seguem vivos na luta para alcançar a chave principal em Melbourne são Thiago Alves e Rogério Dutra Silva, que já estão na segunda rodada do quali após vitórias na primeira rodada. O primeiro deles aguarda o complemento do confronto entre o suíço Marco Chiudinelli e o norte-americano Alex Bogomolov. O tenista da Suíça ganhou o primeiro set por 6/4 e o segundo foi paralisada quando estava empatado por 4 a 4.

Já Silva terá pela frente, na luta por uma vaga na terceira e última rodada do qualificatório, o checo Dusan Lojda, 227.º do mundo. Atualmente na 159.ª posição do ranking, o brasileiro tenta jogar pela primeira vez uma chave principal de Grand Slam, enquanto Alves, o 170.º, busca repetir o feito que já obteve em seis oportunidades. Porém, ele nunca avançou à fase principal do torneio australiano.

Outro brasileiro que entrou no qualifying do Aberto da Austrália foi o garoto Tiago Fernandes, de 17 anos, que acaba de iniciar a sua carreira profissional depois de ter conquistado o título juvenil do Grand Slam australiano no ano passado. Promessa do tênis brasileiro, ele foi arrasado por Evgeny Korolev, do Casaquistão, por 2 sets a 0, com 6/2 e 6/0, e deu adeus ao sonho de lutar pela chave principal da competição em 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.