AFP
AFP

Cilic e Goffin vencem e se enfrentam nas semifinais em Tóquio

Próxima etapa da competição já tem os confrontos definidos

Estadão Conteúdo

07 Outubro 2016 | 10h57

As semifinais do Torneio de Tóquio, ATP 500 disputado em quadras rápidas estão definidas. O croata Marin Cilic vai buscar uma vaga na decisão diante do belga David Goffin, enquanto o francês Gael Monfils medirá forças com o australiano Nick Kyrgios.

Número 14 do mundo, Goffin avançou ao bater de virada o português João Sousa, o 34º colocado no ranking da ATP, com parciais de 1/6, 7/5 e 6/2. Já Cilic, o número 11 do mundo, superou nesta sexta-feira o argentino Juan Monaco (89º colocado), por 7/5 e 6/1.

Cilic abriu boa vantagem contra o Monaco no começo primeiro set, mas depois deixou o argentino reagir, embora tenha triunfado. O argentino, que vem sofrendo com vários lesões nesta temporada, teve dificuldades na troca de bolas na segunda parcial, permitindo o triunfo do croata.

"Eu senti que estava com altos e baixos no meu saque hoje e eu tenho que estar bem desde o início amanhã", disse Cilic, já pensando no jogo deste sábado contra Goffin. "Ele é extremamente rápido na quadra, joga muito perto da linha e pressiona os adversários. Vai ser importante para mim sacar bem e conseguir alguns pontos".

Goffin bateu Cilic em Indian Wells no início deste ano, e depois novamente em um duelo na série entre Bélgica e Croácia pela Copa Davis. Esses foram os únicos confrontos da carreira deles.

"Isso foi quando eu joguei meu melhor tênis este ano", disse Goffin. "Eu posso jogar rápido contra ele e ele não gosta disso, porque é um cara grande e não gosta de correr. Se eu devolver bem, ele se esforçará um pouco".

Kyrgios, o número 15 do mundo, avançou para as semifinais ao derrotar o luxemburguês Gilles Muller, 36º colocado no ranking, por 6/4 e 6/2. E Monfils, o número 8 do mundo, bateu o croata Ivo Karlovic (21º) por duplo 7/6, com 8/6 nos dois tie-breaks.

Karlovic levou todos os sets que disputou nesta semana em Tóquio para o tie-break. "É sempre difícil jogar com Ivo, porque não há muitas oportunidades", disse Monfils. "Um pouco como hoje, eu vou ter que ser paciente amanhã", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.